Assista nossos Programas

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Estudantes podem se inscrever em concurso de contos sobre os direitos das mulheres

Com inscrições abertas até 21 de setembro, a iniciativa é voltada a alunos de 14 a 18 anos de escolas públicas e privadas



O concurso de contos “A educação média para uma cultura sem violência contra as mulheres” está com inscrições abertas até o dia 21 de setembro. Podem se inscrever estudantes de Ensino Médio, com idade entre 14 e 18 anos, das escolas públicas e privadas do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A iniciativa é do Instituto de Políticas Públicas em Direitos Humanos do Mercosul (IPPDH).

Acesse o edital.

Faça a sua inscrição.

O concurso faz parte da campanha regional "Livre, Igual e Feliz", lançada em comemoração ao 40º aniversário da Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (CEDAW). Ao todo, serão selecionados 30 contos que vão integrar uma publicação digital, além da entrega de menção honrosa com diploma para os quatro primeiros colocados.

O intuito é explorar a criatividade por meio de histórias escritas que permitam contribuir para a conscientização, informação e divulgação dos direitos das mulheres. As histórias podem incluir como foco principal qualquer um dos direitos estabelecidos pela CEDAW, considerando a perspectiva dos impactos da pandemia sobre esses direitos.

A iniciativa é do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) em parceria com entidades dos demais países do Mercosul que compõem a Comissão Permanente de Gênero e Direitos Humanos das Mulheres da Reunião de Altas Autoridades sobre Direitos Humanos do Mercosul (RAADH).

Eixos da ação


Titular da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (SNPM/MMFDH), Cristiane Britto ressalta que os eixos da iniciativa contemplam a igualdade de oportunidades e não discriminação, participação política, educação, trabalho e mulheres rurais e indígenas.

“Precisamos estimular uma cultura de respeito às mulheres. Nesse sentido, a promoção do concurso de contos é uma oportunidade de estimular a reflexão nas escolas”, celebra a secretária.

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Genov identifica mutação da variante Gama no Brasil


Projeto da Dasa para sequenciamento do SARS-Cov-2 identifica mutação convergente da variante Gama (P.1) com Delta, a chamada Gama-plus

São Paulo, 12 agosto de 2021 - Dados do primeiro relatório do Genov – projeto científico da Dasa de vigilância por sequenciamento amostral do SARS-CoV-2 no Brasil – identificaram o avanço de uma mutação da variante Gama (P.1) no País. O projeto analisou 1.380 amostras de todas as regiões do Brasil, coletadas entre maio e junho, e observou que mais de 95% eram da linhagem Gama. Dentre elas, 11 amostras de maio, apresentaram a mutação P681H, em que o aminoácido prolina é substituído por um outro, a histidina. É a chamada Gama-plus, uma mutação convergente com características da Delta, variante que geralmente apresenta essa alteração estrutural.  

“Essa mutação de prolina para histidina já havia sido vista em outras variantes no mundo, incluindo todas as variantes de preocupação (VOCs, na sigla em inglês), mas não era muito comum na Gama. No entanto, temos visto um aumento em sua ocorrência nas amostras brasileiras”, explica o coordenador do Genov e virologista da Dasa, José Eduardo Levi. 

Das 11 amostras de maio que registraram a mutação P681H, cinco são do estado de Goiás, duas do Tocantins, uma do Mato Grosso, uma do Ceará, uma de Santa Catarina e uma do Paraná. Em junho foram identificadas, ainda, três amostras da variante Delta no Paraná (Curitiba, Cascavel e Matinhos) e um caso no Rio de Janeiro; os únicos quatro casos identificados pela Dasa até o momento.  

“Ainda que sejam números referentes aos meses de maio e junho, são de grande importância epidemiológica pois nos ajudam a entender o comportamento e a evolução das variantes no Brasil. São achados que reforçam nossa percepção de que não devemos minimizar o risco que as variantes importadas para o nosso País, como a Delta, possam representar; mas que precisamos nos manter atentos para a evolução local da Gama”, salienta Levi. 

O relatório com os primeiros sequenciamentos, do total de 30 mil, está disponível no site do Genov, lançado hoje, além de terem sido depositados no Gisaid 

Variantes P.4 e Delta 

Das amostras analisadas na primeira fase pelo Genov, oito eram da variante Alfa (B.1.1.7), uma da B.1 e uma da P.4 – esta, proveniente da cidade de Registro, no sul do Estado de São Paulo, mas descrita inicialmente na região noroeste por um outro grupo de cientistas. Ela já havia sido registrada, entre outras, na cidade de Capão Bonito, no centro-sul do Estado, o que sugere, portanto, sua expansão geográfica. Ainda não se sabe ao certo o quão transmissível é a P.4. 

Além disso, os pesquisadores do Genov também identificaram uma amostra da variante Gama com a mutação P681R, em que no lugar da prolina é notada a presença de arginina, típica da Delta. Foi em uma amostra de Nova Iguaçu, (RJ).  

Metodologia 

O Genov realizou o sequenciamento de 502 genomas completos de SARS-CoV-2 amostrados na 1ª quinzena de maio e mais 878 amostras referentes a 1ª quinzena de junho, totalizando 1.380 amostras. A escolha das amostras – todas anônimas, conforme prevê a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)  objetivou representar todas as regiões do País, ao mesmo tempo refletindo a prevalência do SARS-CoV-2 no período. Por questões técnicas, foram selecionadas apenas amostras com RT-PCR positivo e valor de Ct< 30 (Cycle Treshold) correspondendo a cargas virais que permitem o sequenciamento do genoma completo com qualidade. 

A classificação definitiva das linhagens foi feita após confirmação por análise filogenética contendo sequencias representativas das principais linhagens circulantes. 

A vigilância genômica, junto com o reforço das medidas não farmacológicas (distanciamento e isolamento social, uso de máscara e higienização das mãos) e da oferta de vacinas em larga escala, compõe o tripé da prevenção da Covid-19 e é mais uma contribuição da Dasa para a sociedade civil e científica 

 

Sobre o Genov 

Genov é o projeto científico de vigilância genômica da Dasa. A iniciativa tem como missão acompanhar a evolução do vírus SARS-CoV-2, responsável pela Covid-19. Em um intenso trabalho de pesquisa serão sequenciados 30 mil genomas do coronavírus em até 12 meses.  

Sobre a Dasa 

A Dasa é a maior rede de saúde integrada do Brasil. Faz parte da vida de mais de 20 milhões de pessoas por ano, com alta tecnologia, experiência intuitiva e atitude à frente do tempo. Com mais de 40 mil colaboradores e 250 mil médicos parceiros, existe para ser a saúde que as pessoas desejam e que o mundo precisa, estando presente em cada etapa de cuidado.  

Acredita que para cuidar sempre é preciso cuidar por inteiro. Por isso, olha para a gestão da saúde de um jeito preventivo, preditivo e personalizado. Integra medicina diagnóstica, hospitais, genômica, oncologia, coordenação de cuidado, pronto atendimento, telemedicina, pesquisa clínica e ciência. Ao todo, conta com 16 hospitais referências (considerando rede própria, crescimentos inorgânicos e os deals que ainda estão sob aprovação dos órgãos reguladores), e mais de 59 marcas entre medicina diagnóstica e hospitais, distribuídas em mais de 900 unidades no Brasil. 

A Dasa garante uma navegação ágil, descomplicada e sem atritos na jornada da saúde, tanto para pacientes quanto para médicos, por meio da sua plataforma de gestão, o Nav. Além disso, oferece soluções integradas e inovadoras de saúde corporativa, por meio do Dasa Empresas. Somos Dasa e somos para toda a vida. Para mais informações, acesse: www.dasa.com.br 

 

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Estudo científico levanta hipótese de que usar máscaras rejuvenesce

Cobrir o terço inferior do rosto com a máscara diminui de 3 a 5 anos

Desde a propagação do novo coronavírus em 2020, o uso de máscaras se tornou algo comum e frequente na rotina das pessoas. O acessório, fundamental para a proteção da vida, também nos trouxe pequenos incômodos estéticos, como a maskne – a acne causada pelo uso excessivo de máscaras. Entretanto, algo curioso e positivo chamou a atenção de alguns pesquisadores americanos.

De acordo com um artigo publicado pelo jornal médico acadêmico, Aesthetic Surgery Journal, usar máscara provoca uma certa alteração na percepção de idade – precisamente, 3.16 anos a menos. Segundo os pesquisadores, o principal motivo se encontra no terço inferior do rosto composto pelo queixo, mandíbula e lábios, que ficam tampados e escondem as rugas labiais, a papada e as dobras nasolabiais, entregando um aspecto mais jovial às pessoas.

De acordo com a dermaticista Patrícia Elias, especialista em saúde da pele, entregar a idade é um assunto que ainda perturba muitas pessoas, principalmente na era do Instagram e das cirurgias plásticas desenfreadas. “Parecer mais jovem vai muito além da aparência física e aumenta o otimismo, a satisfação pessoal e profissional e ajuda na saúde mental”, afirma.

Também foi citado no artigo que pessoas com histórico de tabagismo podem surfar mais alto nessa onda jovial quando comparados aos não fumantes. O maior efeito do uso da máscara se desdobrou no grupo de mulheres que fumavam e aparentavam ter 5 anos a menos do que a verdadeira idade.

“O estudo sem dúvida nos mostra a importância do terço inferior do rosto e qual a sua contribuição na percepção de idade das pessoas”, afirma Patrícia. “Quando procuramos por tratamentos estéticos com o objetivo de rejuvenescer a pele, o ideal é buscar procedimentos que cuidam dessa área em específico para reduzir a idade facial e entregar um resultado positivo ao paciente, como por exemplo, microagulhamento, peeling químico, preenchimento com ácido hialurônico, aplicação de enzimas, radiofrequência, entre outros. Afinal, o melhor é tratar a região agora no inverno, pois tudo indica que em breve não vamos mais precisar usar máscaras”, finaliza a especialista.

domingo, 30 de maio de 2021

Qual a melhor alternativa para o manejo dos resíduos sólidos?



Debate sobre o desenvolvimento sustentável do setor aponta a cobrança individualizada como caminho ideal

Cobrança individualizada pelo serviço de coleta e tratamento de resíduos sólidos. A modalidade é apontada por especialistas como alternativa para mitigar os impactos ambientais dos resíduos gerados nas cidades.

Segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo (SELUR), Márcio Matheus, o novo Marco Legal do Saneamento Básico determina a instituição desse mecanismo de cobrança e, assim, caminhar em direção à sustentabilidade, modernidade e universalização da atividade. "Esse serviço tem natureza própria, é uma infraestrutura de utilidade econômica domiciliar. É também uma questão de justiça social, na medida em que faz com que, quem gera mais pague mais. Com isso, consegue-se modificar a relação do usuário dos serviços com os resíduos, aumentando a sua consciência quanto a diminuir o desperdício", destaca. Ele compara essa mudança comportamental com o que ocorre com outros serviços residenciais com água e energia elétrica, em que a cobrança é individualizada.

O novo Marco Legal do Saneamento Básico, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, reforça que a sustentabilidade econômico-financeira dos serviços deve ser buscada mediante cobrança diretamente dos usuários, de forma a considerar a realidade socioeconômica de cada área ou região. "Haverá uma transição no modelo: a partir do Marco, o usuário saberá o quanto está gerando e o quanto pagará. Da maneira que é hoje, o custeio é repartido igualmente entre os munícipes, de modo a quem gera menos resíduos termine subsidiando quem gera mais", ressalta o presidente do SELUR.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destaca a importância do novo Marco Legal do Saneamento para avançar na política de manejo de resíduos sólidos. "Se você destina de forma ambientalmente adequada o resíduo sólido, você melhora o saneamento, diminuindo a mortalidade infantil, melhorando a qualidade de vida das pessoas, mitigando a pressão sobre o SUS e melhorando a produtividade das pessoas e os índices educacionais", completa.

De acordo com Marinho, o Ministério do Desenvolvimento Regional trabalha para aprovar a primeira debênture incentivada para resíduos sólidos. "O valor do financiamento é de cerca de R﹩ 450 milhões, em parceria com o Estado do Rio de Janeiro. E começa a ser viabilizada justamente pelas mudanças que nos foram propiciadas pelo novo Marco do Saneamento", afirma.


Orçamento e conscientização


Durante anos, a conta dos serviços de manejo de resíduos ficou dependente do orçamento municipal. Márcio Matheus atenta que este orçamento tem uma série de receitas comprometidas - como verbas vinculadas para a Educação e Saúde, folha de pagamento de ativos e inativos - que compromete cerca de 90% da receita total das prefeituras. "São muitas obrigações, vinculadas constitucionalmente. Sobra pouco para cultura, esportes, turismo, conservação de vias, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, fazendo com que o município tenha dificuldade para dar destinação ambientalmente adequada aos resíduos, obrigando-se com isso a valer-se dos lixões", afirma.

Uma das melhores práticas no setor está em Santa Catarina, na prefeitura de Balneário de Camboriú. O prefeito Fabrício Oliveira compartilhou a experiência do município em sua palestra no Seminário Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável da Indústria de Resíduos Sólidos no Brasil, realizado em 19 de maio, em Brasília, pelo Grupo Voto e as entidades do setor.

O presidente do SELUR elogia o exemplo: "Hoje, em Santa Catarina, a população reconhece o valor do modelo de concessão dos serviços com cobrança mediante tarifa, pois sabe que existe justiça e transparência na repartição dos custos, modicidade tarifária com qualidade na prestação e a certeza de que o meio ambiente não está sendo agredido. É um processo de mudança administrativa e cultural que deve ser trilhado por todas as cidades", avalia Matheus. No município de Balneário de Camboriú diversas ações são propostas para a conscientização da sociedade na sua relação com os resíduos, a começar por atividades nas escolas, entre as crianças.

Matheus ressalta que a indústria de resíduos brasileira é parceira das prefeituras, ao introduzir novas soluções e tecnologias, desenvolver novos equipamentos e infraestruturas e aperfeiçoar continuamente os processos de operação, proporcionando mais eficiência e agilidade na prestação do serviço, de forma a garantir a salubridade urbana e a mitigação dos impactos ambientais decorrentes da geração diária de milhares de toneladas de resíduos. "A universalização da coleta e do tratamento é o grande fator para tirar o Brasil do atraso, de forma a permitir a erradicação dos mais de três mil lixões ainda existentes. O responsável pelo pagamento dos serviços passa ser o domicílio gerador, na medida da sua demanda, cabendo às agências reguladoras disciplinarem e fiscalizarem os serviços em favor do usuário e da qualidade da prestação", projeta.

Pelo mundo

Mapeamento e análise comparativa dos diferentes modelos de arrecadação específica para remuneração dos serviços de manejo de resíduos sólidos ao redor do mundo, realizado pela Consultoria Internacional Ernst&Young, evidencia o caráter global da cobrança e quanto a sua instituição modifica positivamente o comportamento da população na sua relação com a cidade e com os resíduos que gera.

Nas regiões menos desenvolvidas, o foco da cobrança, geralmente fixa, consiste em garantir a sustentabilidade financeira dos serviços de coleta e disposição final ambientalmente adequada, objetivando a garantia da saúde pública e a proteção do meio ambiente, possibilitando eliminar os lixões e individualizar a responsabilidade do usuário em relação aos resíduos que gera.

Por outro lado, nas regiões mais desenvolvidas, uma vez consolidada a sustentabilidade financeira para a coleta e disposição final ambientalmente adequada, o modelo de cobrança por utilização concentra-se na mudança comportamental do usuário para mitigar ainda mais a geração e impulsionar a economia circular.

Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável

Para o presidente do SELUR, Márcio Matheus, o Seminário Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável da Indústria de Resíduos Sólidos foi uma ótima oportunidade para discutir o cenário da indústria. "O Grupo Voto está de parabéns por mais um belo evento, com lideranças públicas e privadas tão importantes para o desenvolvimento da atividade. É importante que continuemos discutindo para avançarmos no tema", conclui.

Também participaram do evento os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles; e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas; o secretário Nacional de Saneamento, Pedro Maranhão, o secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Almirante Flávio Rocha, a presidente da ANA, Christianne Dias; o consultor do Banco Mundial, Luis Sérgio Akira Kaimoto; o presidente da ABDIB, Venilton Tadini; CEOs e altos executivos dos principais grupos empresariais do setor; e presidentes de entidades setoriais, entre outras personalidades de destaque.

segunda-feira, 29 de março de 2021

PANCADÕES E AGLOMERAÇÕES EM ITAQUERA SÃO IGNORADOS PELA SECRETARIA DE SEGURANÇA



Médico denuncia para a Rádio Jovem Pan, isenção das autoridades policiais no distrito de Itaquera - SP
A UPA de Itaquera que atende cerca de 70 pacientes com Covid-19 está tendo seu trabalho comprometido com aglomerações que geram barulho ensurdecedor na vizinhança.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, publicou uma nota em que repudia tais manifestações, mas parece que não está fazendo nada a esse respeito. 

É necessária uma atitude mais efetiva do poder público não acham?
Quando eles querem, designam centenas de militares para campanas a fim de proteger bandidos de alta periculosidade em suas transferências. Que tal se alguns militares fossem designados para coibirem tais eventos ao lado de uma UPA com 70 pacientes em estado grave?

É lamentável que pessoas insanas, isentas de qualquer senso de empatia com o próximo, sejam capazes de fazer tamanho barulho ao lado de uma UPA que está tratando pessoas infectadas com Covid-19. É lamentável que manifestações fora de hora, viagens de final de ano, carnaval e reuniões desnecessárias, sejam hoje o motivo principal pelo qual estamos trancafiados em casa, impossibilitados de retomarmos uma vida normal. Não é normal que em situação de risco extremo as pessoas cometam tamanho desrespeito com a dor alheia. O momento é de apoiarmos os que estão indo todos os dias aos seus trabalhos e que não podem se dar ao luxo de ficar em casa recebendo benefícios e salários; é de respeitarmos a dor dos que estão sofrendo nos hospitais e leitos, com o nosso carinho, silêncio e principalmente orações. Já imaginou, você sem conseguir respirar, sentindo dores pelo corpo e tendo que suportar um pancadão e cantores desafinados cantando bem alto nos seus ouvidos? Isso é uma tortura!

Tortura maior ainda para os médicos que estão se esforçando para salvar vidas e também para enfermeiros, que lidam com todo tipo de sujeiras corpóreas, tendo que trabalhar nessas condições a noite inteira. Pior de tudo, são as autoridades locais do distrito de Itaquera ignorarem o fato, e, ainda mais pior do que isso, são as leis brasileiras que inibem qualquer força maior utilizada por parte dos policiais em ação, que serão massacrados se tirarem os imbecis barulhentos e drogados aos tapas dos locais de aglomeração. Aqui no Brasil é assim, muito carinho e respeito para os infratores e desrespeito total para as vítimas. Quem tem culpa disso? Quem determina como devem ser adotadas as leis brasileiras. Num país onde os bandidos organizados, ligados ao narcotráfico estão em suas mansões com tornozeleira eletrônica no pescoço de seus cachorros, sentados em baús de dinheiro roubado do poder público, poderíamos esperar o que? Se puder, tenha uma boa semana.

 Por: Claudia Souza

sábado, 13 de fevereiro de 2021

Mercado da animação 3D: como se tornar um profissional da área?

André Felippe - Canal Anima Gospel

Animador e CEO do canal Anima Gospel, André Felippe, explica o que é necessário para entrar no ramo e reunir mais de 1 milhão de seguidores no Youtube

O mercado de animação é um dos que mais cresce no mundo. São milhares de produções anuais dando vida às imagens e conquistando o público em diferentes segmentos. No Brasil, graças aos festivais de animação, já são mais de 350 agências, segundo o portal Educa+Brasil, trabalhando exclusivamente na área. Fazer parte desse universo não é simples, porém, quem atua na profissão garante: é possível.

“Como qualquer trabalho, a animação exige empenho e dedicação. A cada dia surgem novas tecnologias que dão mais possibilidades ao trabalho, cabe ao profissional acompanhar todas elas”, afirma André Felippe, animador e CEO do canal Anima Gospel, que reúne mais de 1,3 milhão de seguidores no Youtube.

O especialista conta que a carreira de animador exige qualificações, mas, mais do que isso, cobra-se talento e criatividade do profissional.

“Não é só desenvolver ilustrações e animações em ambiente virtual. É preciso mais. Hoje, para ser um profissional da animação, pode-se fazer cursos livres para aprender a usar os programas de animação 3D e fazer graduação na área de design, cinema, comunicação ou outra que envolva o audiovisual”, esclarece.

No Anima Gospel, criado em 2015, a equipe faz animações diárias de leituras de versículos, salmos e outras passagens bíblicas, de forma lúdica, criativa e moderna. Os vídeos, que são produzidos por uma equipe com profissionais de animação, legendagem, edição e locução, já alcançaram cristãos de outros países, como Estados Unidos, Angola, Moçambique e Portugal (veja mais aqui).

“O mais importante é acompanhar as tendências de mercado. Saber o que está sendo feito, quais ferramentas estão sendo usadas e se aprimorar. Foi observando, testando e aplicando nossos conhecimentos que chegamos a mais de 1 milhão de inscritos”, finaliza

domingo, 22 de novembro de 2020

Instituto Oncoguia realiza 3º Fórum de Câncer de Pulmão



Tipo de neoplasia é a que mais vitima no Brasil e 90% dos casos são diagnosticados em estágio avançado. Prevenção e diagnóstico precoce serão pautas de evento online e gratuito. Jornalistas terão acesso com exclusividade aos médicos.

O Instituto Oncoguia realiza no próximo dia 24 de novembro, o 3º Fórum Oncoguia de Câncer de Pulmão. Esse ano, de maneira virtual, com transmissão ao vivo pelo Youtube, o evento abordará temas importantes sobre desafios, novidades, prioridades, reflexões e aprendizados, além da importância do diagnóstico precoce e tratamentos inovadores no Sistema Único de Saúde (SUS) para uma das neoplasias mais agressivas. A participação é gratuita e os interessados podem se inscrever em http://www.oncoguia.org.br/eventos/3-forum-pulmao/.

O Fórum é parte das ações da Campanha “Você não está mais sozinho”, que busca mostrar que é possível viver e ter qualidade de vida após o diagnóstico do câncer de pulmão.

A abertura será às 9h, com atualização do Radar do Câncer de Pulmão, apresentada pela fundadora e presidente do Instituto Oncoguia, Luciana Holtz. Na sequência, às 9h20, o oncologista clínico Fernando Moura estará à frente da palestra: “Câncer de pulmão no Brasil: desafios, novidades e prioridades” e às 9h45, a presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Clarissa Mathias, falará sobre “Pandemia e câncer de pulmão: reflexões e aprendizados”.

Às 10h05 terá início o primeiro módulo de debates sobre como garantir o diagnóstico precoce. O pneumologista Ciro Kirchenchtjn trará a importância do pneumologista do combate e cuidado do câncer de pulmão, e o cirurgião torácico do Hospital Israelita Albert Einstein, Ricardo Sales destacará por onde se deve começar na busca por um diagnóstico precoce.

O módulo dois começa às 10h50 e será sobre medicina personalizada na prática. A médica patologista Ellen Caroline enriquecerá a discussão com os desafios da patologia do câncer de pulmão no SUS e na Saúde Suplementar. Em seguida os oncologistas Diogo Bugano e Marcelo Cruz, apresentarão como o câncer de pulmão deve ser tratado e os desafios no SUS e no sistema suplementar, respectivamente. Encerrando esse ciclo, o gerente de Dados André Marques, trará o case “Quando a recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) não significa acesso”.

O terceiro e último módulo será pautado na voz do paciente. Luciana Holtz entrevistará pacientes que vivem com o câncer de pulmão e na sequência os internautas poderão sanar suas dúvidas.

A programação completa está disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/3-forum-de-cancer-de-pulmao-do-oncoguia/13967/579

PREMIAÇÃO PARA JORNALISTAS

Encerrando o evento, a partir das 12h35, será realizada uma discussão fechada com médicos e jornalistas. Os profissionais de mídia podem se inscrever como participantes e receberão acesso à sala exclusiva.

Os jornalistas participantes poderão ser premiados com R$ 3.500,00,00, em uma parceria do Oncoguia com a Global Lung Cancer Coalition | GLCC. Para concorrer, basta que seja enviado até o dia 21/12/2020, para o e-mail: institutooncoguia@oncoguia.org.br, o link da publicação ou uma foto (caso a publicação seja impressa), para que o material seja avaliado pela comissão julgadora composta de membros do comitê do Oncoguia. Serão aceitas evidências de publicação que constem os dados completos dos jornalistas e do veículo, como nome e data de veiculação. O comitê avaliador irá divulgar o resultado em 10/01/2021.



SERVIÇO

3º Fórum Oncoguia de Câncer de Pulmão
Quando: 24 de novembro de 2020
Hora: das 9h às 12h35
Local: Youtube
Inscrições gratuitas aqui: http://www.oncoguia.org.br/eventos/3-forum-pulmao/

SOBRE O ONCOGUIA

A ONG Instituto Oncoguia foi fundada em 2009 por um grupo de profissionais de saúde e ex-pacientes de câncer, liderados pela psico-oncologista Luciana Holtz de C. Barros. Dessa união nasceu uma associação sem fins lucrativos, criada e idealizada com o objetivo de ajudar o paciente com câncer a viver melhor por meio de projetos e ações de informação de qualidade, educação em saúde, apoio e orientação ao paciente, defesa de direitos e advocacy.

domingo, 8 de novembro de 2020

Pandemia faz casos de bruxismo aumentar a procura por dentistas

Dr. Gustavo Féres.
Especialista fala da importância em tratar o problema


A pandemia da Covid-19 fez com que muitas pessoas apresentassem problemas de saúde derivados de estresse e ansiedade. Nos consultórios odontológicos, a procura por atendimento para casos de bruxismo tem sido elevada durante todo o período de 2020. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 84 milhões de brasileiros sofrem de bruxismo, o que equivale a 40% da população. No Google, a busca pelo termo “bruxismo” bateu recorde em 2020. O último mês de agosto em comparação com dezembro de 2019, o termo teve aumento de 80% nas pesquisas.

O problema, que consiste no ranger ou pressionar dos dentes, principalmente durante o sono, se não for tratado, pode causar desgaste e dor nos dentes. “O coronavírus, juntamente com o período de isolamento e avanço da doença trouxeram muita tensão na vida das pessoas. Essa tensão, combinada com medo, angústia e ansiedade fazem com que o bruxismo fique mais evidente, levando mais pacientes a procurar pelos consultórios odontológicos”, explica o Dr. Gustavo Féres.

Os principais sintomas do bruxismo são dor na face, na cabeça e sensação de mandíbula travada. “Ao apresentar os sintomas característicos do problema é indicado que a pessoa procure um especialista para iniciar o tratamento, que é feito com o uso da placa de bruxismo. Ela protege os dentes evitando o contato entre as arcadas dentárias e age no reposicionamento da mandíbula, proporcionando alívio e mais saúde para o paciente”, finaliza o dentista.

***





sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Queda na vacinação infantil preocupa em período de volta às aulas presenciais


Laboratório Hermes Pardini alerta para necessidade de cumprir calendário previsto para as crianças


A aproximação do fim do ano por si só já chamaria a atenção dos profissionais de saúde para a necessidade de colocar o calendário de vacinação em dia antes de pegar a estrada ou o avião nos feriados de novembro ou para as viagens de férias, Natal e Réveillon. Mas em um ano de pandemia, o período exige ainda mais cuidado. Isso porque o índice de vacinação, que já vinha registrando queda nos últimos anos, caiu ainda mais. De acordo com dados do PNI, o Programa Nacional de Imunizações, a meta anual é vacinar de 90 a 95% das crianças no Brasil. De janeiro a julho de 2020, no entanto, o índice não passou de 61%.

“O coronavírus fez com que as pessoas desviassem a atenção e esquecessem de outras doenças que circulam pelo país e podem ser facilmente evitadas através da vacinação. Embora seja normal que, por receio de sair de casa, isso tenha ficado um pouco de lado, é preciso atualizar o calendário. Principalmente porque estamos na flexibilização do isolamento social e as escolas começam a retomar as atividades in loco”, explica a Dra. Melissa Palmieri, coordenadora médica de vacinas do Grupo Pardini.

Para voltar gradualmente à rotina, a especialista alerta que algumas vacinas são fundamentais. Entre elas:

Rotavírus, que previne contra tipos de rotavírus, causadores de diarreia e desidratação especialmente em crianças.

Tríplice viral (SCR - Sarampo, Caxumba e Rubéola), indicada a partir de 1 ano de vida. Atualmente o Programa Nacional de Imunizações está recomendando uma dose extra entre 6 e 12 meses de idade devido à circulação do vírus em todo território nacional com risco de acometer os bebês com formas graves ou até mortes.

Vacinas combinadas como hexavalente e pentavalente, que protegem contra difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenzae b, hepatite B e poliomielite inativada.

Febre Amarela, para todos os brasileiros a partir de 9 meses de vida.

Além disso, para quem pretende viajar no verão, é recomendado verificar, com antecedência, se a região do Brasil ou o país que visitará exige medidas extras de proteção e cuidado. “Certifique-se de que o local de destino não tem nenhuma doença de ocorrência usual ou algum surto epidêmico”, afirma a Dra. Melissa. Para quem tem dúvidas, vale procurar um médico de confiança ou ir a um serviço de vacinação público ou privado e pedir para que um profissional de saúde avalie a carteirinha. “Na maioria dos casos, é importante que a vacina seja realizada de 10 a 15 dias antes da viagem. É o tempo necessário para a produção de anticorpos”, acrescenta a médica do Pardini antes de destacar as principais vacinas recomendadas no período:

VACINA DE TÉTANO

Feriados e férias são o período em que as pessoas saem da zona de segurança, fazem atividades que não estão acostumadas, tentam algum esporte novo, exploram locais diferentes e, portanto, o risco de um acidente com ferimento em pele e exposição ao tétano fica muito elevado. "A vacina contra o tétano normalmente está em dia até a adolescência. Depois, as pessoas esquecem de fazer os reforços recomendados de 10 em 10 anos. Assim, passam férias e momentos de lazer sob um risco que poderia ser facilmente evitado", explica a doutora.

HEPATITE A

A vacina de hepatite A também é importante. Como o vírus é transmitido pela ingestão de água e alimentos contaminados, os casos da doença podem aumentar no verão. O vírus da hepatite A pode, ainda, se alojar no gelo. "Alguns especialistas relatam que nesta temperatura de congelamento o vírus já foi detectado até um mês depois da contaminação. Outros falam em meses. Portanto, aquela raspadinha na praia ou a caipirinha com gelo podem representar um perigo à saúde de quem não está imunizado,” afirma a especialista do Pardini.

FEBRE AMARELA

Atualmente todo o território nacional virou área de risco para a recomendação da vacina de febre amarela e o Certificado Internacional de Vacinação contra a doença é exigido na entrada de diversos países. Vale se informar sobre a necessidade da vacina com a embaixada do local de destino ou no site da Anvisa. A vacinação pode ser feita em postos de saúde ou serviços de imunização privados autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. "O viajante não pode esquecer que essa vacina deverá ser realizada em até 10 dias antes da viagem internacional", ressalta a médica.

FEBRE TIFOIDE

Você pode nunca ter ouvido falar dela, mas a doença infectocontagiosa é comum na América Latina, Oceania, África e sul da Ásia. "Trata-se da infecção por um dos tipos da bactéria salmonela e é transmitida por alimento e água contaminados”, explica a Dra. Melissa. Está mais presente em áreas com condições precárias de saneamento, higiene pessoal e ambiental. A vacina é recomendada para quem viaja a regiões onde a incidência é alta.

MENINGITE TIPOS ACWY e B

A vacinação contra a meningite é de extrema importância, não tanto pela incidência da doença, mas pela gravidade e alto índice de letalidade. “Sem o tratamento adequado, ela pode levar à morte em menos de 24 horas”, alerta. “Se você vai viajar para regiões afastadas, com pouca ou nenhuma estrutura de saúde, reservas naturais, vilarejos, ilhas, etc, não há porque correr risco. É melhor tomar a vacina antes”.

ZIKA, DENGUE E CHIKUNGUNYA

O período de chuva associado ao calor beneficia a proliferação do Aedes aegypti. O mosquito está presente em todo o país, mas existem cidades e regiões que são mais afetadas. Se for viajar para essas áreas, use repelente e reforce a aplicação ao amanhecer e ao entardecer, já que ele costuma picar nesses períodos. Vale destacar que a vacina contra a dengue só é feita em pessoas anteriormente infectadas, visando proteger das formas graves da doença. Ela está disponível nos serviços privados para o público entre 9 e 45 anos. São recomendadas 3 doses (0, 6 e 12 meses).

***

domingo, 1 de novembro de 2020

Tipos de vitamina C e seus benefícios

Herpes, erupções cutâneas, gengivite e escorbuto. As propriedades do ácido ascórbico, a vitamina C, podem ser aplicadas em diversas situações, da potencialização do sistema imunológico ao envelhecimento precoce da pele.

Estudo publicado na Revista de Ciências Médicas da PUC de Campinas indica que a vitamina C é capaz de modular a resposta imune do organismo humano em vários níveis, inclusive produzindo anticorpos. Pesquisa divulgada na HU Revista, periódico do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), mostra que o ácido ascórbico pode ser útil na recuperação dental após o uso de alguns tipos de clareamento.

Encontrada em qualquer farmácia em diversas apresentações, a substância foi descoberta em 1932 por um cientista húngaro e é conhecida por auxiliar na reconstrução de tecidos, órgãos e vasos do organismo humano. A substância é conhecida por sua ação antioxidante - eliminando os radicais livres - e seu uso é associado à prevenção de problemas de saúde a longo prazo, como osteoporose e derrames.

Um organismo em falta de vitamina C pode apresentar diversos problemas. Desde maior frequência de resfriados e gripes - pela fraqueza do sistema imunológico -, pele ressecada, cabelos quebradiços até ossos fragilizados. A pessoa com deficiência na substância tende a ficar mais cansada e desanimada ao longo do dia, já que o componente ajuda a dar energia e evitar o sentimento de fadiga.

Uso da vitamina C

A vitamina C é uma substância popular e bastante conhecida entre os brasileiros, mas muitos fazem uso da substância sem orientação. De acordo com a Ingestão Diária Recomendada (IDR) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é indicada a ingestão de 100 mg por dia, mas a dosagem pode variar de acordo com o gênero, idade e peso. As orientações de nutricionistas ou nutrólogos tornam melhores os resultados.

Absorção da vitamina C

O corpo humano não é capaz de produzir a vitamina C e é necessário obtê-la por meio da alimentação e uso de suplementos. Além de não ser naturalmente sintetizada pelo organismo, a substância relativamente frágil, pois oxida rapidamente em contato com a água e o ar.

Para evitar a volatilidade, diversos derivados da vitamina foram criados para serem inseridos na dieta. O objetivo é garantir o aproveitamento máximo dos benefícios que a substância pode trazer. Dentro da classe de derivados, os mais comuns são a vitamina C lipossomal, a tamponada e a com adição de rose hips.

Vitamina C lipossomal

Um dos motivos pelos quais a vitamina C não é absorvida no organismo deve-se ao fato de ser composta por moléculas hidrossolúveis, ou seja, com alta capacidade de se dissolver na água. Dessa forma, as células do corpo, envolvidas por membranas de ácidos graxos, não conseguem absorvê-las em sua totalidade. Uma alternativa indicada para potencializar essa absorção é usar vitaminas do tipo lipossomal.

A vitamina é revestida por lipossomas - pequenos organismos, formados por fosfolipídios - que conseguem atravessar mais facilmente a camada dos ácidos celulares. Um estudo do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos afirma que as vitaminas lipossomais podem potencializar a absorção do princípio ativo em até 75%. Assim, os benefícios são intensificados.

Alguns dos resultados mais procurados é o efeito antioxidante, para o combate aos radicais livres, que são neutralizados pelos elétrons presentes nas vitaminas. A reação previne diversas doenças, principalmente relacionadas ao coração e ao cérebro.

Vitamina C tamponada

A forma pura da vitamina C é o ácido ascórbico. Apesar desse composto ter a acidez relativamente leve, ainda pode ser uma questão para quem apresenta problemas no trato gástrico.

A vitamina C tamponada surge como uma alternativa para estes casos. Neste composto, o ácido ascórbico é adicionado de sais minerais, aproximando o pH da substância ao fator alcalino. A vitamina C com redução da acidez pode ser útil principalmente para pessoas que sofrem com refluxos, úlcera ou quaisquer outros problemas gástricos.

Assa combinação intensifica a absorção de cálcio e magnésio, normalmente perdidas na ingestão da vitamina.

Vitamina C + Rose Hips

Há ainda a composição de vitamina C com rose hips. Conhecida também como "rosa canina", a planta é usada há milhares de anos para fins terapêuticos. Sua própria composição conta com ácido ascórbico, além de vitamina B, taninos e flavonoides - compostos bioquímicos encontrados em muitos vegetais, hortaliças, frutas e grãos. O resultado é uma substância com alto fator vitamínico e fonte de sais minerais.

Inserir vitamina C com rose hips na dieta pode ajudar a potencializar os efeitos clássicos da substância pura. Além disso, o composto é utilizado para tratamentos renais e intestinais - atuando com leve efeito laxante.

A recuperação de tecidos e a cicatrização também tendem a ser aceleradas com o uso contínuo da vitamina. Seu gosto é considerado agradável e, assim, fácil de ser adaptado para o dia a dia.

***


Aumento de casos de estresse entre crianças preocupa especialistas

Dores abdominais, cefaleia e crises de ansiedade estão entre os sintomas do problema, alerta Hospital São Camilo de São Paulo




Com o prolongamento do isolamento social, especialistas alertam para o agravamento de um problema que têm impactado a saúde física e mental das crianças: o estresse. A procura por atendimentos nos prontos-socorros infantis da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo tem aumentado para casos de dores no peito, abdominais, cefaleia e crises de ansiedade, sintomas que estão relacionados às manifestações do chamado “estresse tóxico”.

O termo utilizado entre os especialistas é designado para casos mais frequentes, em níveis mais altos, exigindo uma resposta do organismo por tempo prolongado, o que pode ser muito prejudicial à saúde de maneira geral. “Se a criança não encontra, no seu ambiente, os recursos de adaptação suficientes para vivenciar uma situação nova, o estresse se torna nocivo”, explica a pediatra da Rede Dra. Vivian Oliveira.

Quando pensamos neste conceito, aplicado à pandemia, em que não apenas as crianças, mas também os adultos precisaram se adaptar a um novo cenário cercado de incertezas, o problema fica ainda mais evidente.

A psiquiatra do Hospital São Camilo Dra. Aline Sabino destaca que a mudança drástica na rotina e, em muitos casos, o impacto econômico decorrente da pandemia afetaram a saúde mental de todos, deixando a criança mais vulnerável.

Para eles, a falta da escola, do convívio com amigos, as brincadeiras coletivas, tudo isso foi suspenso sem uma data definitiva para terminar. “Até mesmo os mais velhos, que são capazes de entender melhor o que acontece no mundo, ainda assim suas vidas foram diretamente impactadas”, afirma a psiquiatra, destacando a importância da socialização para o desenvolvimento saudável das crianças.

Dra. Vivian complementa ainda que “cada criança é única e pode ser afetada em determinado momento, ou seja, independentemente da idade, o isolamento, confinamento e/ou distanciamento social vão impactar os pequenos de alguma maneira”.

Sinais de alerta

Como identificar se isso está acontecendo na sua família? A pediatra destaca alguns dos principais sinais de alerta:

1- Alteração no apetite, quando a criança perde o interesse pela comida preferida, ou quer comer muito mais do que o habitual.

2- Regressão, quando hábitos e comportamentos já aprendidos passam a se manifestar de novo, como xixi na cama, por exemplo.

3- Alterações gastrointestinais, quando a criança passa a ter episódios de constipação.

4- Variações de humor e inquietação, com momentos de tristeza e raiva.

5- Dependência maior dos pais e cuidadores, quando a criança sente mais necessidade de atenção do que o habitual.

Uso excessivo de telas

Para a Dra. Aline, o maior desafio para as famílias é encontrar meios de estabelecer uma rotina saudável no contexto atual. “Percebemos, por exemplo, que as crianças ficaram mais expostas aos dispositivos tecnológicos de telas e mídias, o que pode gerar uma série de problemas secundários à saúde dos pequenos”, complementa a pediatra.

Adriana Saavedra, fonoaudióloga da Rede São Camilo, destaca, por sua vez, que, embora as tecnologias sejam extremamente importantes e positivas, o uso imoderado pode favorecer dificuldades de comunicação, já que a criança não precisa expressar-se verbalmente para conseguir o que deseja ou o que está sentindo.

A especialista ressalta os reflexos deste excesso, que podem impactar até mesmo a qualidade do sono.

“As expectativas de receber mensagens, checar a atualização de redes sociais ou terminar a fase de um jogo de videogame, por exemplo, têm sido citadas como prejudiciais para o sono, ainda mais em decorrência da luz azul, que irradia dos equipamentos eletrônicos e interferem na produção de hormônios que nos ajudam a relaxar e nos deixar sonolentos para dormir”, frisa.

Além disso, conforme destaca a Dra. Vivian, passar muito tempo utilizando eletrônicos eleva os riscos do sedentarismo e, consequentemente, à obesidade, bem como pode potencializar atrasos no desenvolvimento cognitivo e alterações sociais, com redução da interação direta entre a criança e seus familiares e/ou cuidadores.

No entanto, compreendendo que o momento requer medidas de adaptação, as especialistas entendem que se torna mais difícil estabelecer limites saudáveis em relação ao uso das tecnologias.

“Um período não pode ser rotulado ou estipulado de maneira geral. O ideal é que quanto menos melhor, e de acordo com a rotina da criança e da família”, explica a fonoaudióloga.

A pediatra reforça a importância desse cuidado, já que, usadas de forma inadequada e abusiva, as tecnologias podem ocupar o espaço de atividades importantes para o desenvolvimento infantil, como a interação face a face, o tempo familiar de qualidade, brincadeiras ao ar livre, exercícios físicos e, até mesmo, tempo de inatividade e ócio criativo.

Saúde auditiva

Quando pensamos em eletrônicos, não podemos desconsiderar a importância do cuidado com o uso de fones de ouvidos.

A recomendação da fonoaudióloga é de que os fones sejam usados com moderação, além de manter o volume total dos equipamentos do ambiente abaixo da metade, evitando uma exposição auditiva prolongada.

Ela lembra que os pais devem estar atentos para sinais como falta de atenção, irritação e inquietação, que podem estar relacionados a uma dificuldade auditiva. “Problemas na fala também podem se apresentar, correlacionados a uma dificuldade auditiva, o que afeta a aprendizagem e o desenvolvimento da leitura e escrita, fatores que podem se destacar durante este período de aulas virtuais”, completa.

Rede de Hospitais São Camilo

A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo é composta por três hospitais modernos na capital, nos bairros da Pompeia, Santana e Ipiranga, e um em Cotia, acreditados pela Joint Commission International (JCI), Himss e Qmentum Diamante.

As unidades prestam atendimentos de emergência e eletivos em mais de 60 especialidades, cirurgias de alta complexidade e transplantes de medula óssea, além de oferecerem cerca de 800 leitos e um quadro clínico de mais de 4,3 mil médicos qualificados.

Os quatro hospitais privados da Rede subsidiam as atividades de outras 40 unidades administradas pela Sociedade Beneficente São Camilo e que atendem pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) em 15 estados brasileiros. No Brasil desde 1922, a Sociedade Beneficente, que pertence à Ordem dos Ministros dos Enfermos, fundada por Camilo de Lellis, conta ainda com 25 centros de educação, dois colégios e três centros universitários.

Siga o Hospital São Camilo nas redes sociais: @hospitalsaocamilosp


terça-feira, 13 de outubro de 2020

A regulamentação das atividades exclusivas de Estado e o diálogo institucional no âmbito da Reforma administrativa são prioridades para a nova gestã A



Nova Gestão do Sinagências toma posse para os próximos três anos nova gestão do Sinagências para os próximos três anos tomou posse na segunda-feira (05/10) na sede da entidade em Brasília. O evento ocorreu em cerimônia semipresencial/virtual (em respeito às atuais regras de isolamento) e foi prestigiado por parlamentares presentes ligados à categoria, entidades representativas, pela comissão eleitoral, conselho fiscal e membros da diretoria eleitos.

O Sinagências representa os servidores das 11 Agências Reguladoras do país (ANS, ANTT, ANA, ANVISA, ANATEL, ANTAQ, ANEEL, ANP, ANM, ANAC, ANCINE). O especialista em regulação, Cleber Ferreira, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), é o novo presidente da instituição. Durante o evento, Cleber Ferreira agradeceu a presença de todos, reiterou a continuidade dos projetos e seu ânimo para os desafios da nova gestão.

Declarou que um dos focos dos próximos anos será aumentar a base de filiados, continuar os processos de transparência nas ações do sindicato, as articulações institucionais, no âmbito da Reforma Administrativa e da regulamentação das atividades exclusivas de estado e fazer com que os servidores das Agências possam participar cada vez mais.

“Hoje no Sindicato temos uma base de filiados de menos 20% do total de servidores das Agências. Temos um potencial enorme para aumentar essa base. Será um longo caminho pela frente e nosso objetivo é mostrar a importância do trabalho que é feito, a representatividade, fazer com que os nossos colegas não filiados também venham a ingressar no quadro da entidade”, analisou.

Cleber Ferreira confirmou a continuidade de projetos da gestão anterior, a qual fez parte, como secretário-geral com ênfase na articulação já iniciada na PEC que trata do Projeto Arca ( que regulamenta as carreiras de estado e propõe uma tabela única) em andamento no Congresso Nacional e a luta pela equiparação dos servidores da Agência Nacional de Mineração (ANM), com as demais Agências. “É muito injusto ver 10 Agências ganhando os mesmos vencimentos e ver outra ganhando 40% menos. Vamos conseguir essa equiparação o mais rápido possível, ainda na minha gestão”, enfatizou Ferreira.

Durante o evento, o ex-presidente, Alexnaldo Queiroz de Jesus, ao se despedir do mandato lembrou as mudanças no âmbito político representativo, na administração interna da entidade, e da retomada do respeito institucional que o Sindicato. “Deixo um caminho aberto, uma entidade que tem possibilidades de desenvolvimento e mais alcance social. Tenho certeza de que esta gestão do Cleber será muito melhor, não tenho dúvidas de que a glória e conquistas serão maiores. Continuemos a ouvir os filiados e servidores, com o respeito a representatividade. Saio do sindicato, mas não sairei da luta, onde eu estiver defenderei a categoria da regulação, contem comigo”.

O deputado federal, Julio Cesar Ribeiro (Republicanos/DF), acompanhou presencialmente a cerimônia de posse e em apoio a nova gestão firmou a continuidade de seu compromisso parlamentar em defesa das carreiras e das atividades de regulação como exclusivas de estado.

“Desde que assumimos o atual mandato estivemos aqui junto com o Sinagências, ajudando no diálogo com a Câmara dos Deputados, com o Alexnaldo, que sempre se mostrou atuante, e agora com o Cleber, continuaremos juntos, demostrando a responsabilidade e o carinho que tenho por vocês e pelo Projeto Arca” destacou o parlamentar.

Também estiveram presentes na cerimônia, o presidente do Conselho Fiscal, José de Lima Dias, o direto administrativo, Paulo Rodrigues dos Santos, o diretor financeiro, Wagner Dias, a comissão eleitoral composta pelo senhor Ricardo Eudes Parayba (ANM), e presenças virtuais do diretor presidente substituto da ANS, Rogério Scarabel, a deputada Érika Kokay (PT.DF) , o deputado distrital, Martins Machado, o presidente do Fonacate, Rudinei Marques e o diretor geral da Univisa, Rodrigo Savini.

***


sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Conheça os carros e motos mais roubados em 2020


Dados fornecidos pela empresa dr. localiza são referentes ao primeiro semestre em São Paulo

Para quem acha que a pandemia mudou o apetite dos criminosos para o roubo, está muito enganado até junho deste ano, mais de 16 mil veículos foram roubados no estado de São Paulo, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Para entender e traçar um perfil do que a criminalidade procura, falamos com uma especialista em rastreamento e recuperação veicular.

Com uma base dessas e mais de 36 mil clientes ativos, o dr.localiza fez um levantamento dos veículos mais roubados no primeiro semestre de 2020.


Confira o ranking por categoria:

Motocicletas

1º lugar: Honda CG 160
2º lugar: Honda XRE 300/ 300 ABS/Flex
3º lugar: Honda CB Twister/Flexone 250CC
4º lugar: Honda CG 150 FAN ESDI/Flex
5º lugar: Honda CB 300R/ 300R Flex

Carros
1º lugar: GM Chevrolet Onix
2º lugar: Fiat Uno Mille
3º lugar: Hyundai - HB20
4º lugar: Volkswagen Gol (modelo novo)
5º lugar: Volkswagen Vogaye

Utilitários
1º lugar: Fiat Fiorino Furgão
2º lugar: Fiat Ducato
3º lugar: Ford Ecosport
4º lugar: Fiat Toro Freedom
5º lugar: Renault Master Furgão

***




domingo, 4 de outubro de 2020

Shopping Market Place apoia campanha do Outubro Rosa


Ações reforçam seu compromisso com a causa e incentivam a conscientização da prevenção do câncer de mama


O Shopping Market Place, que faz parte da Rede Iguatemi, participará pelo sétimo ano consecutivo da campanha do Outubro Rosa e tem o objetivo de chamar a atenção, por meio de ações no espaço físico e nas redes sociais, em torno do tema.

Com o mês internacional de conscientização da importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, a partir do dia 01/10, a fachada do shopping, localizada na Av. Dr. Chucri Zaidan 902, ficará rosa, cor que simboliza a campanha mundial, assim como os demais empreendimentos da Iguatemi Empresa de Shopping Centers.

A programação do Iguatemi Daily, plataforma de conteúdo que tem como objetivo proporcionar momentos de entretenimento e informação por meio de lives no Instagram @iguatemi, terá conteúdos voltados para o tema. O Instituto Vencer o Câncer (IVOC) firmou parceria com a companhia e participará do Iguatemi Daily.

Além disso, o Shopping Market Place também realizará duas ações de conscientização e apoio à Campanha Outubro Rosa: a primeira, em parceria com o Alta Excelência Diagnóstica (instalado na Torre I do Complexo) distribuirá nos dias 09, 16, 23 e 30/10, pelos corredores do shopping, álcool gel e tags na cor rosa. A tag terá um QR code que permite o acesso ao site do Shopping Market Place com informações sobre a prevenção da doença que afetou, em 2019, cerca de 59.700 mulheres, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

A segunda ação, com os salões de beleza Imagem Beauty Internacional e Imagem Homem – ambos localizados na Alameda de Serviços - consiste em cortes gratuitos aos clientes que autorizarem a doação dos cabelos à GRAAC (Grupo de Apoio ao Adolescente e Criança com Câncer). Os fios doados ao longo do mês de outubro serão para a confecção de perucas que serão entregues às crianças e adolescentes em tratamento de quimioterapia.

“Estamos num ano atípico de pandemia, mas a doença não espera. Mesmo em um cenário como esse o autocuidado e o acompanhamento periódico são fundamentais. O Outubro Rosa já faz parte do nosso calendário, momento em que damos visibilidade ao tema para o público externo e interno também!”, conta Alexandre Biancamano, diretor de marketing da Iguatemi Empresa de Shopping Centers.

A campanha do Outubro Rosa permanecerá durante todo o mês de outubro no Shopping Market Place, que está funcionando das 12h às 20h de segunda a sábado. Aos domingos e feriados, das 14h às 20h. Todos os dias, a Praça de Alimentação abre das 12h às 20h. Já os restaurantes, das 12h às 16h e das 18h às 22h.

Para mais informações, acesse: https://iguatemi.com.br/marketplace/ ou siga @shoppingmarketplace.

Sobre o Shopping Market Place

Localizado na zona sul de São Paulo, o Shopping Market Place é um dos principais shoppings da cidade e abriga em sua estrutura duas torres comerciais, com importantes empresas nacionais e internacionais. Inaugurado em 1995, o Shopping pertence a Iguatemi Empresa de Shopping Centers e traz a expertise da marca para o seu dia a dia. O empreendimento reúne 163 operações entre lojas de diversos segmentos – moda, decoração, beleza, alimentação, serviços, etc. Ao longo dos anos, o Market Place reforçou seu polo gastronômico e investe em novas opções alimentação para seus clientes – são 12 renomados restaurantes, além de uma praça de alimentação ampla e completa. Adicionalmente, lazer e entretenimento são dois importantes pilares do empreendimento e, mensalmente, são promovidas 
diversas experiências para todos os públicos.



 


sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Como você dorme? Escolha da posição interfere na qualidade do sono



Uma péssima noite de sono traz impactos negativos à saúde física e mental que podem ser percebidos na forma de dores no corpo, irritabilidade e até mesmo tristeza. Uma boa maneira de evitar esse quadro é atentar-se à posição na hora de dormir. Segundo o reumatologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Leandro Parmigiani, algumas posturas tendem a ser mais adequadas para uma noite de bom sono.

O primeiro passo para conquistar o tão almejado descanso saudável é a escolha correta do colchão e travesseiro. Os itens devem ser adequados ao peso e não apresentar depressões causadas pelo tempo ou mau uso. O segundo passo, para o médico, é perceber como se dorme. “Algumas posições podem interferir negativamente na respiração e sobrecarregar alguma parte do corpo”, ressalta Parmigiani.

Entre as maneiras menos favoráveis ao corpo e à mente, está a posição de bruços, quando as costas ficam para cima e a barriga é o ponto de encontro com o colchão. Isso se deve, segundo Parmigiani, à dificuldade de respiração ocasionada pelo impasse de encontrar um posicionamento confortável para o pescoço. Além disso, a escolha tende a acarretar estresse na musculatura paravertebral, piorando quadros de dor nas costas.

Outra postura não muito aconselhável para uma boa noite de sono é dormir de “conchinha”. Apesar de frequente entre casais e de ajudar na liberação do hormônio ocitocina - que diminui o estresse-, ela não é a mais confortável e pode levar a dores. “O corpo naturalmente busca outras maneiras a fim de garantir os benefícios do sono”, diz ele.

Na contramão destas opções, dormir de lado está entre as posições mais satisfatórias ao organismo. A vantagem está em proporcionar o alinhamento correto da coluna. Para garantir esse efeito, o especialista recomenda o uso de um travesseiro entre as pernas, o que evita pressão sob os quadris. Ele alerta, porém, que essa escolha é contraindicada para pacientes com refluxo gastroesofágico.

“Mesmo que existam posições mais adequadas para a maioria das pessoas, é preciso pensar de forma individualizada, principalmente quando o paciente apresenta algum problema de saúde”, explica. “O importante é achar uma posição que seja ideal para o seu corpo e mente”, aconselha Parmigiani.

Veja os detalhes de outras posições:
De costas: dormir de barriga para cima causa uma maior obstrução das vias aéreas, por empurrar a língua e o palato contra a garganta. Isso facilita o aparecimento do ronco e de apneia.


Dormir do lado esquerdo: indicada para gestantes por não proporcionar pressão sobre a veia cava e facilitar o fluxo do sangue ao feto. Além disso, facilita a digestão por melhorar o trânsito de alimentos pelo estômago e intestino. A posição ainda auxilia na drenagem linfática, que é muito ativa durante o sono, e junto com o sistema venoso acaba por eliminar substâncias que podem ser prejudiciais à saúde. Também favorece a eliminação do excesso de proteínas, vitaminas, gorduras e resíduos.


Posição fetal: esta posição bastante conhecida, em que a pessoa dorme de lado com os joelhos fletidos e o queixo inclinado, acaba sendo prejudicial tanto para as costas como para a respiração.



HOSPITAL EDMUNDO VASCONCELOS

Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Hospital Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.000 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 - Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o primeiro lugar no Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar na categoria Saúde - Hospitais, conquistado por três anos consecutivos, 2017, 2018 e 2019.

Rua Borges Lagoa, 1.450 - Vila Clementino, Zona Sul de São Paulo.

Tel. (11) 5080-4000

Site: www.hpev.com.br

Facebook: www.facebook.com/HospitalEdmundoVasconcelos/

Twitter: www.twitter.com/Hospital_EV

YouTube: www.youtube.com/user/HospitalEV

Linkedin: www.linkedin.com/company/19027549

Instagram: www.instagram.com/hospitaledmundovasconcelos/


***



Segredos da Boa Forma e
Nutrição na Gravidez

terça-feira, 29 de setembro de 2020

Procura-se um motociclista para compor a equipe Harley‑Davidson

Rider Wanted 2021: Procura-se um motociclista para compor a equipe Harley‑Davidson em uma viagem dos sonhos pelo Brasil

Inscrições podem ser realizadas no site da Harley-Davidson do Brasil até o dia 15 de novembro de 2020
Rider Wanted 2021: Procura-se um motociclista para compor a equipe Harley‑Davidson em uma viagem dos sonhos pelo Brasil (Harley-Davidson do Brasil/Divulgação)



A Harley-Davidson do Brasil está em busca de um motociclista para fazer parte da equipe da H-DB em uma viagem dos sonhos, de Salvador (BA) até Brasília (DF), pilotando uma Ultra Limited, equipada com Reflex Defensive Rider Systems (RDRS).

O sonho de percorrer algumas das mais empolgantes estradas brasileiras pilotando uma motocicleta da lendária marca norte-americana, com o vento batendo no rosto, desbravando paisagens inesquecíveis em contato com a natureza, como Chapada Diamantina e Chapada dos Veadeiros, colecionando amizades e experiências ao longo do caminho que vão resultar em histórias memoráveis, poderá se tornar realidade!

Esta viagem de tirar o fôlego, com duração de 10 dias, abrange estradas da Bahia, Goiás e do Distrito Federal, descobrindo algumas das mais belas regiões brasileiras.

O Rider Wanted 2021 tem como objetivo criar conteúdo para o fim de aproximar ainda mais a H-D de seus clientes e entusiastas, promovendo a descoberta de mais lugares, mais paisagens, mais pessoas e mais histórias a bordo de uma motocicleta.

No fim do dia, não se trata do número de quilômetros, mas sim das experiências vivenciadas ao longo do caminho e as histórias acumuladas para sempre. Pilotar uma Harley-Davidson é muito mais do que simplesmente ver a paisagem. É a oportunidade única de fazer parte dela.

Para participar, os interessados precisam acessar o site https://freedom.harley-davidson.com/pt_BR-Rider-Wanted-Contest e efetuar o cadastro, durante o período de 15 de setembro a 15 de novembro. Após o registro dos dados, os participantes devem enviar um texto de no máximo 10 linhas, ou enviar o link de um vídeo próprio postado no YouTube, com até dois minutos de duração, que melhor responda à pergunta: “Por que eu deveria ser escolhido para ser o motociclista nesta viagem dos sonhos da Harley-Davidson?”

A dinâmica para a escolha do selecionado final seguirá critérios específicos, dentre aqueles previstos no regulamento.

O motociclista selecionado terá a oportunidade para compor a equipe H-D nesta viagem dos sonhos e nos ajudar a demonstrar o verdadeiro espírito de liberdade, atitude e irmandade sobre duas rodas, que somente uma marca centenária como a Harley-Davidson pode oferecer.

As motocicletas da Harley-Davidson do Brasil estão disponíveis para um exclusivo Test Ride em toda a rede de concessionárias autorizadas da marca no País, de acordo com a disponibilidade dos modelos na rede e seguindo as recomendações dos governos estaduais e municipais em relação aos cuidados com a saúde. Para registrar seu interesse, acesse o site https://testrides.harley-davidson.com/pt_BR e inscreva-se. Encontre a loja Harley-Davidson mais próxima em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/find-a-dealer.html. Confira as ofertas do mês em https://www.harley-davidson.com/br/pt/tools/offers.html.

SOBRE A HARLEY-DAVIDSON

Harley-Davidson, Inc. é a empresa controladora da Harley-Davidson Motor Company e da Harley-Davidson Financial Services. Nossa visão: Construindo nossa lenda e liderando nossa indústria por meio da inovação, evolução e emoção. Nossa missão: Mais do que construir máquinas, defendemos a busca atemporal por aventura. Liberdade para a alma. Desde 1903, a Harley-Davidson tem definido a cultura da motocicleta com uma gama em expansão de motocicletas de ponta, distintas e personalizáveis, além de experiências de pilotagem e acessórios, equipamentos e roupas de pilotagem excepcionais. Harley-Davidson Financial Services fornece financiamento, seguros e outros programas para ajudar a colocar os motociclistas da Harley-Davidson na estrada. A Harley-Davidson do Brasil produz e comercializa motocicletas das famílias Sportster®, Softail®, Touring e CVO™. Saiba mais sobre como a Harley-Davidson está construindo a próxima geração de motociclistas em https://www.harley-davidson.com.br

Veja as fotos lindas!

Parque Nacional Chapada Diamantina, no estado da Bahia
Harley-Davidson do Brasil/Divulgação/Andre Dib

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, no estado de Goiás
Harley-Davidson do Brasil/Divulgação/Vitor Marigo

Vale da Lua, na Chapada dos Veadeiros (Goiás)
Harley-Davidson do Brasil/Divulgação/Vitor Marigo

Vista aérea da cidade de Salvador, Bahia
Harley-Davidson do Brasil/Divulgação/R.M. Nunes

Ponte Juscelino Kubitschek e Lago Paranoá, em Brasília, Distrito Federal
Harley-Davidson do Brasil/Divulgação/Matheus Felix


***

QUER APRENDER UMA PROFISSÃO PROMISSORA QUE VOCÊ EXERCER EM QUALQUER LUGAR DO BRASIL? - Você sabia que o Brasil tem mais de 3 milhões de motocicletas que precisam ou ainda precisarão de manutenção e conserto?
Conheça o curso de Mecânica de Motocicletas







domingo, 20 de setembro de 2020

Presidente da FBH expõe preocupações do setor hospitalar com a aplicação da nova legislação de Proteção de Dados





O presidente da Federação Brasileira de Hospitais (FBH), Adelvânio Francisco Morato, manifestou nesta segunda-feira, 14, as preocupações do setor hospitalar com as adequações que serão necessárias para implementação da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Durante o encontro virtual, promovido pela Entidade, Morato lembrou que cerca de 70% da rede hospitalar brasileira é composta de estabelecimentos de pequeno e médio portes, e que muitos desses estabelecimentos sequer conseguiram iniciar o processo de informatização de sua base de dados.

“Estamos falando de centenas de estabelecimentos que não conseguem disponibilizar assentos adequados para seus pacientes, quem dirá sistema de informação digitalizado. A grande preocupação é como esses estabelecimentos vão se adequar à nova Legislação, como se dará a sua aplicabilidade. Nós não temos dúvidas da importância e necessidade da LGPD, porém estamos preocupados com os impactos que essas novas exigências trarão para o funcionamento do setor. Será preciso investir em tecnologias? treinamentos?”, disse o presidente da FBH.

De acordo com ele, qualquer medida que gere custos, neste momento, só vai piorar a situação dos estabelecimentos, que ainda tentam se recuperar dos reflexos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Em muitos hospitais, a queda na receita, em decorrência da suspensão de procedimentos eletivos, chegou a ser de 30%. “A preocupação recai, principalmente, sobre as sanções previstas para os hospitais que não se adequarem às novas exigências até agosto do próximo ano, que é o prazo estabelecido. Acredito que será preciso mais tempo, o setor também precisa ser ouvido”, complementou Morato.

DEBATE

O encontro promovido pela FBH contou com as participações dos deputados federais, Orlando Silva (PCdoB), Pedro Westphalen (PP/RS) e Luiz Antônio Teixeira Júnior (PP/RJ), além do advogado Lucas Paglia, especialista em Gerenciamento, Mitigação e Mapeamento de crises.

Ao realizar uma breve contextualização sobre a criação da LGPD, o relator do Projeto, deputado Orlando Silva, lembrou que ao ser apresentado, em 2016, o texto já vinha sendo debatido e construído há mais de 10 anos, com a realização de audiências públicas. Ele também ressaltou que a nova legislação possui caráter conceitual e principiológico, que é uma forma de se adaptar à velocidade e dinamismo com que se transforma o mundo digital. “Isso acaba conferindo mais peso à atuação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD)”, disse.

O deputado Pedro Westphalen, autor da Emenda que possibilitou a postergação dos prazos para que a LGPD entrasse em vigor somente em agosto de 2021, também manifestou preocupação com a regulamentação da ANPD e as dificuldades para que os hospitais se adequem às novas exigências. Segundo ele, ainda falta clareza sobre como vai atuar a Autoridade Nacional. Outro aspecto destacado pelo parlamentar é que o país apresenta disparidades regionais gritantes. “Temos vários brasis dentro do Brasil e vários tipos de instituições, em diferentes condições de funcionamento”, disse.

Assista o vídeo:




***


Atendimento adiado por pandemia deve ser coberto por convênio

Mérces da Silva Nunes

Plano de saúde não dá desconto por período sem uso, mas serviços são garantidos em contrato



Em meio à apreensão das pessoas devido ao coronavírus, usuários de planos de saúde registraram dificuldades para uso dos convênios. Muitos deixaram de ir a consultas e exames e até desmarcaram cirurgias. Em outros casos, o acesso foi reduzido para dar prioridade à pandemia. Por essa dificuldade e por questão de ordens práticas, consumidores e empresas ficam em dúvida se podem pedir descontos na mensalidade pela baixa ou nenhuma demanda de uso do serviço.

De acordo com Mérces da Silva Nunes, advogada especializada em Direito Médico e Doutora em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, isso não é possível por questão contratual, mas o consumidor tem que ser atendido quando retornar às consultas. "Além de serem adiados entre os meses de março e julho pelo receio de contágio das pessoas, os procedimentos também precisaram ser adiados por determinação do Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como uma forma de poupar leitos e evitar a contaminação pela Covid-19", explica ela. "As chances de redução no valor das mensalidades são baixas porque esses procedimentos podem ser realizados em algum momento e os planos de saúde deverão suportar essas despesas em razão da obrigatoriedade contratual", ressalta.

Outra dificuldade para os usuários de planos foram os reajustes nas mensalidades em plena crise sanitária que está abalando as finanças de muita gente. "Após questionamentos levantados sobre o tema desde o início da pandemia, a ANS, no dia 21 de agosto, suspendeu, por 120 dias a partir do mês de setembro a aplicação de reajustes anuais e por mudança de faixa etária aos contratos de planos de assistência médica e odontológica para todos os tipos de plano: individual/familiar e coletivos-por adesão e empresariais", explica a advogada. Segundo a Agência, nos casos de reajustes de preço por faixa etária, os clientes com contratos aumentados este ano voltarão a pagar mensalidades com os valores sem reajuste pelos próximos quatro meses.

Mas, embora os clientes, individualmente, não possam pedir descontos, empresas que oferecem planos como benefícios aos funcionários podem pleitear abatimentos em contratos pelos períodos em que foram pouco usados. "Considero viável a tentativa das empresas de pleitear redução de preço dos planos, em razão da baixa sinistralidade das carteiras, relativamente ao período entre março e julho, do corrente ano. A negociação deve ser estabelecida diretamente entre as partes, pois não há legislação específica determinando eventual redução de preço", afirma Mérces.


PERFIL DA FONTE:


Mérces da Silva Nunes possui graduação em Direito - Instituição Toledo de Ensino - Faculdade de Direito de Araçatuba, mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006) e Doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2014). É advogada, sócia-titular do Silva Nunes Advogados Associados e autora de obras e artigos sobre Direito Médico.


***


sábado, 19 de setembro de 2020

Negócios: Aprovado plano de recuperação judicial da Copel Colchões

Em depoimento emocionante, fundador da empresa, Israel Sapiro, resumiu seu sentimento após a assembleia de credores. Aprovação do plano permitirá a reorganização das finanças da Copel, criada por ele 55 anos atrás

O plano de Recuperação Judicial da Copel Colchões, que há 18 meses ingressou com pedido de Recuperação Judicial, foi aprovado nesta quinta-feira (17) por todas as classes de credores que entraram na negociação. O trabalho de reestruturação da empresa e a indicação do caminho a ser percorrido para que a Copel possa recuperar os resultados positivos foram realizados pela consultoria Ejafac, em conjnto com a alta administração da Copel. As questões jurídicas ficaram a cargo do escritório Bissolatti Advogados.

O plano de Recuperação Judiciam da Copel renegociou um passivo aproximado de R$ 39 milhões, que foi aprovado por 100% dos credores das classes 1 e 4 – créditos derivados da legislação do trabalho e créditos de microempresas ou empresas de pequeno porte, respectivamente –, e por 70,74% dos credores da classe 3, onde estão reunidos os credores quirografários.

As dívidas trabalhistas serão pagas em doze parcelas, sem deságio. Os credores parceiros – que ainda concedem crédito à companhia – aceitaram um deságio de 57,5% para o recebimento em 120 meses, com 20 messes de carência. Com os credores que optaram por não manter relações comerciais com a Copel foi negociado um deságio de 79% e o pagamento igualmente em 120 parcelas, 20 messes de carência.

“Foi um processo longo, mas felizmente nossos credores levaram em conta que, no caso de uma insolvência da Copel, o prejuízo seria dobrado. Além de terem dificuldades para receber valores consideráveis dos créditos que possuem conosco, eles fechariam as portas para um cliente com enorme potencial de consumo. Conseguimos mostrar que a Copel segue firme, já operando no azul depois dos primeiros meses de reestruturação”, comentou Elias Azevedo, CEO da Ejafac – e que já reorganizou mais de 65 empresas nos últimos 20 anos.

Entre as estratégias adotadas pela Ejafac para recuperar o Ebitda positivo da Copel estão o fortalecimento das vendas pela Internet e o fechamento de lojas físicas deficitárias, bem como uma revisão geral de todas as despesas da companhia.

“Eles salvaram o meu legado” – O depoimento emocionante do fundador da Copel Colchões, Israel Sapiro, resume perfeitamente o sentimento de todos os colaboradores da empresa após a aprovação do Plano de Recuperação Judicial da companhia, reconhecida como uma das maiores fabricantes e revendedoras de colchões do Brasil.

Aos 78 anos de idade, Israel Sapiro segue à frente da Copel há 55, e neste período relembra que enfrentou um único momento de real dificuldade – que começou em 2014 e perdurou por cinco anos. Foi o suficiente para que toda a sua história corresse o risco de implodir.

“Devo muito a três personagens que salvaram o meu legado. São eles a consultoria Ejafac, o escritório de advocacia Bissolatti Advogados e o Diretor Comercial da Copel, Marcio Trevisan. Sem eles, sem a energia que eles colaram no trabalho de recuperação da companhia, tudo que construímos em mais de cinco décadas teria virado pó. Na prática eles salvaram a minha empresa, mas a realidade é que salvaram muito mais do que isso”, declarou o fundador.

A Copel fabrica a linha Copel Confort Line, que corresponde a 18% de todos os colchões vendidos em suas mais de 60 lojas. A rede ainda comercializa outras marcas brasileiras, como a Copespuma, Herval e a Flex, e algumas das mais importantes marcas do mundo, como a norte-americana Serta e a Inglesa Dunlopillo. A estimativa é de que, apesar da retração nas vendas provocada pela pandemia, o mercado de colchões movimente mais de 10 bilhões de reais no Brasil, com gasto médio R$ 48,55 por habitante. Há muito espaço, portanto, para que a Copel possa sair da crise e volte a crescer.


****