Assista nossos Programas

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Especialistas alertam sobre os riscos do colesterol alto e seu impacto na saúde vascular





Dia Nacional de Prevenção e Controle do Colesterol busca conscientizar a população a respeito da doença que se manifesta de forma silenciosa


Segundo dados do Ministério da Saúde, quatro em cada 10 brasileiros têm colesterol alto, responsável por originar graves doenças vasculares. Com o objetivo de alertar a população a respeito dos riscos da condição - que na maioria das vezes se manifesta de forma silenciosa - e estimular o monitoramento dos níveis de gordura no sangue, foi estabelecido o Dia Nacional de Prevenção e Controle do Colesterol, celebrado em 8 de agosto.

O colesterol é um tipo de gordura que desempenha funções importantes, como a produção da bile - que ajuda na digestão dos alimentos - e na formação de hormônios como testosterona, estrógeno e a vitamina D. Ele é dividido em duas categorias: o LDL (conhecido como colesterol ruim), que acarreta o acúmulo de placas de gordura ou aterosclerose nas artérias, impedindo o fluxo de sangue aos órgãos, e assim gera o risco de infartos, AVCs, graves úlceras, necroses, gangrena e até a perda do membro. Em pacientes portadores de doença cardiovascular (angina, infarto, derrame cerebral) ou doença nas artérias periféricas, o LDL é considerado alterado quando possui valor maior que 50 mg/dL. Já nos pacientes sem doenças cardiovasculares, é classificado como alto quando os níveis estiverem acima de 70 mg/dL. O HDL (chamado de colesterol bom) atua como um limpador, pois retira o colesterol das artérias e o transporta até o fígado para ser excretado. Neste caso, o seu nível deve ser alto, acima de 40mg/dL.

Por prejudicar diretamente o fluxo sanguíneo, o acúmulo de gordura põe em risco a saúde vascular, como explica o presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP), Dr. Fabio H. Rossi. “As placas de gordura originam diferentes doenças, dependendo de onde elas obstruem a circulação. No cérebro, aumentam as chances de derrame. Já no coração, podem causar infarto ou angina (dor no peito). A aterosclerose é perigosa, já que a evolução muitas vezes é silenciosa. Nas artérias da perna há o perigo da formação de trombo, com obstrução parcial ou total do vaso, podendo provocar dor ao caminhar, e até provocando necrose e necessidade de amputação, nos casos mais graves, esse risco é ainda maior nos pacientes diabéticos”.

O presidente da SBACV-SP destaca que a condição é grave mesmo quando ela não tem sintomas. “Na existência de Doença Arterial Periférica, mesmo em assintomáticos, quando o diagnóstico é feito pela observação da redução dos pulsos, ou quando existe diferença na pressão medida nas artérias de braços e pernas - que chamamos de índice tornozelo-braquial - os perigos à saúde são altos. Quando esse índice é menor que 0,9, ele é consideramos um forte marcador de risco de morte cardiovasculares. Aliás, essa possibilidade é de duas a três vezes maior do que na população em geral. A a chance de morte é até maior do que em pacientes que já tiveram infarto previamente”, declara.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional da Saúde, a população com 45 anos ou mais, com baixa escolaridade e do sexo feminino apresenta maior prevalência em manifestar colesterol alto. São elas que também acabam sofrendo os impactos na saúde vascular. “A mulher tem as mesmas doenças vasculares que o homem, mas ocorre em média 10 anos depois, ou seja, as mulheres têm a proteção hormonal do estrogênio até a menopausa, período em que o organismo reduz a produção do hormônio”, esclarece o Dr. Rossi.

Segundo o chefe da Seção Médica de Dislipidemias do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, Dr. André Faludi, em relação à idade, a condição pode atingir diferentes faixas etárias, sempre considerando a predisposição genética. “Todas as pessoas acima dos 10 anos de idade devem ser submetidas à avaliação do colesterol e suas frações. Precisa ser analisada a partir dos dois anos de idade quando houver história familiar de doença cardiovascular precoce, história de colesterol alto na família ou se a própria criança apresentar depósitos de gordura na pele ou fatores de risco, como pressão alta, diabetes ou obesidade, e principalmente se for portador de doença cardiovascular”.

Um estilo de vida saudável, com o consumo moderado de alimentos gordurosos e a prática de exercícios físicos, é a principal ferramenta de prevenção da doença. O Dr. Faludi recomenda dar preferência a alimentos de origem vegetal - frutas, verduras, legumes e grãos - e evitar frituras, não fumar e controlar a pressão arterial. “É aconselhado limitar a ingestão de gorduras saturadas, diminuir os alimentos ricos em colesterol, como gema de ovo e fígado, e usar derivados de leite pobres em gordura, a exemplo do leite e iogurte desnatados”.

A visita regular ao médico é fundamental para evitar maiores complicações, principalmente por se tratar de uma doença silenciosa e que pode vir a ser descoberta apenas em cenários onde já não há possibilidades de reversão. “Trata-se de um quadro de saúde silencioso e que a única maneira de saber os níveis de colesterol é por meio do exame de sangue. Esse pode ser um problema, porque quando a doença dá sinais e sintomas isquêmicos o caso já está avançado”, finaliza o Dr. Fabio.

A SBACV-SP tem como missão levar informação de qualidade sobre saúde vascular para toda a população. Para outras informações acesse o site e siga as redes sociais da Sociedade (Facebook e Instagram).



Sobre a SBACV-SP

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo – SBACV-SP, entidade sem fins lucrativos, é a Regional oficial da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) no estado de São Paulo. A entidade representa os médicos que atuam nas especialidades de Angiologia e de Cirurgia Vascular, nas áreas de atuação de Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular, Radiologia Intervencionista e Angiorradiologia, Ecografia Vascular e outras áreas afins às especialidades. Facebook


***







quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Saiba quais são os 5 ataques hackers mais comuns

Especialista em cibersegurança destaca os tipos de ciberataques mais utilizados por criminosos para roubo ou vazamento de dados



Os ataques cibernéticos estão se tornando cada vez mais comuns, sendo uma oportunidade para criminosos realizarem golpes ou fraudes em pessoas e empresas. Navegar pelo ambiente virtual exige atenção já que esse meio pode esconder armadilhas. Para contribuir na identificação de ameaças, o Instituto DARYUS de Ensino Superior Paulista – IDESP, escola de negócios referência em continuidade de negócios e cibersegurança, listou quais são os tipos de ataques mais comuns que podem causar vazamentos de dados sensíveis ou roubos de informações para a aplicação de golpes digitais e Phishing, Ransonware e Malware estão entre eles.

De acordo com dados da Fortinet, no ano passado, o Brasil teve mais de 88,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos. Já o relatório “Fast Facts”, da Trend Micro, destacou que o Brasil é o quarto país no mundo com mais ataques transmitidos por e-mail, sendo pouco mais de 9 bilhões registrados no início de 2022.

Segundo o coordenador e professor da pós-graduação em Cyber Threat Intelligence no IDESP, Thiago Bordini, as ameaças no ambiente digital são uma preocupação constante, por isso, além de conhecer os principais ataques utilizados nesse meio, é importante também investir na segurança. “Para minimizar os riscos de um ataque cibernético é recomendado manter uma atualização constante de computadores, programas e softwares. O antivírus pode ser um aliado na detecção e defesa das ameaças, mas o cuidado com as informações pessoais na internet deve ser redobrado”, ressalta.

Confira os 5 ataques cibernéticos mais comuns e saiba como se proteger:


Phishing

Sendo uma palavra derivada do inglês (fishing), o phishing funciona como uma pescaria em que os criminosos jogam uma rede para uma lista grande de contatos com informações interessantes para roubar os dados das vítimas. Nesse ataque, eles podem se disfarçar de serviços da Web ou bancos, por exemplo. Com a coleta de dados bancários e de cartões de crédito, são realizadas fraudes e após a ação, os cibercriminosos apagam todos os vestígios para não serem encontrados. “O ideal é nunca abrir e-mails de remetentes desconhecidos, não clicar em links integrados e desconfiar de URLs incorretas”, recomenda Bordini.

Ransomware

É um código malicioso que restringe o acesso ao sistema infectado, no caso o computador, tornando os dados e as informações inacessíveis. Os hackers utilizam essa ferramenta para forçar a vítima a pagar um resgate em criptomoedas (bitcoins), para então devolver o acesso aos dados. Caso o pagamento não seja feito, a vítima corre o risco de ter os dados perdidos ou vazados.

Malware

É um software malicioso que pode ser apresentado de diversas formas. São conhecidos popularmente por vírus e podem causar sérios danos a um computador ou uma rede corporativa. Entre os malwares, estão os ransomwares, citado anteriormente, spyware que rouba os dados das vítimas, cavalos de troia que colocam malware no computador, entre outros.

Spam

São mensagens não solicitadas que ficam disponíveis na caixa de entrada do e-mail. Elas são utilizadas como uma tática para a aplicação de golpes ou fraudes, já que algumas delas podem incluir links ou documentos anexos com código malicioso. Ao clicar, o computador pode ser hackeado. É recomendado não baixar arquivos em spam, não fornecer informações pessoais em sites suspeitos, além de ter cuidado ao compartilhar o endereço de e-mail.

Botnet

É uma rede de computadores infectados que podem ser controlados remotamente por hackers. Por meio disso, é possível fazer o envio de spams, roubo de dados e executar ataques DDoS (conhecido como ataque de negação de serviço distribuído, ele sobrecarrega a máquina enviando diversas solicitações ao mesmo tempo, impedindo o funcionamento correto do computador). Para minimizar um ataque botnet, o especialista destaca que é importante manter um antivírus atualizado, não clicar em anúncios suspeitos e desconfiar de e-mails falsos que podem conter algum arquivo infectado.

Se interessa pela área de inteligência de ameaças cibernéticas e gostaria de aprender como antecipar ameaças? Conheça a pós-graduação de Cyber Threat Intelligence do IDESP: https://dary.us/3oOYbYr

Sobre o IDESP

Fundado em 2005, o Grupo Daryus, de origem e capital 100% brasileiro, tornou-se referência na atuação de Consultoria e Educação em GRC. Com mais de 15 anos de experiência a Daryus Educação promoveu a capacitação profissional para mais de 20 mil alunos, 60 cursos oferecidos, sendo 9 cursos de pós-graduação reconhecidos pelo Ministério da Educação e parcerias com faculdade e institutos renomados. Atualmente, a empresa se reposiciona com o Instituto Daryus de Ensino Superior Paulista (IDESP) e continua a oferecer conhecimento em cursos voltados para educação executiva, treinamento e certificações internacionais nas áreas de continuidade de negócios, cibersegurança, segurança da informação, gestão de riscos, gestão de TI, projetos e processos, entre outros. A empresa é pioneira na criação dos cursos de pós-graduação de segurança da informação, perícia forense digital, gestão riscos, continuidade de negócios e cibersegurança.
Para mais informações, acesse: https://www.daryus.com.br/pos-graduacao.

Sobre o Grupo DARYUS

Desde 2005 com o propósito de iluminar mentes, proteger pessoas e negócios, por meio de educação e serviços em gestão de riscos, o grupo DARYUS tornou-se referência em consultoria, educação e eventos nos temas: Gestão de Riscos, Segurança de Informação, Cibersegurança, Proteção de Dados (LGPD) e Governança de Tecnologia da Informação (TI). O Grupo é composto por 4 unidades de negócios: 1) A DARYUS Consultoria - especializada em Gestão de Riscos e Cibersegurança, 2) O IDESP - Instituto DARYUS de Ensino Superior Paulista - que é líder na formação em GRC, com mais de 30 mil profissionais formados desde 2006, e pioneira na criação dos cursos de pós-graduação em segurança da informação, forense computacional, cibersegurança e continuidade de negócios, 3) A DARYUS Eventos, que tem foco em criar e gerenciar eventos que desenvolvam a comunidade de cibersegurança e gestão de riscos no Brasil, e 4) A DARYUS StartLab, aceleradora de startups focada em Riscos, TI e Cibersegurança. Para saber mais visite: https://www.daryus.com.br/


***

Kit Gamer Teclado Semi Mecânico +
Mouse Led Chroma Rgb Iluminado Jogos Pc Usb
VER PRODUTO




sexta-feira, 29 de julho de 2022

Por que visitar museus com as crianças?



Os espaços podem ser cenário para novas experiências e descobertas culturais


Na hora de decidir o que fazer com os filhos pequenos no fim de semana ou nas férias, muitos pais não pensam em incluir na lista de atividades uma visita a um museu. Ainda que muitos deles sejam espaços em que se deve fazer silêncio e ter cuidado com as peças expostas, nem todos os museus são iguais. Com um pouco de pesquisa, é possível encontrar opções que também sejam “lugar de criança”.

De acordo com Andreia Castro, diretora do Marista Escola Social Ir Lourenço, as experiências culturais fazem a diferença na fase da infância. “As crianças usam as experiências que têm para construir o seu repertório de mundo e se desenvolver. O acesso à cultura é parte importante desse desenvolvimento, já que estimula a criatividade e o pensamento crítico”, explica.

Além de cultura, os museus são uma porta de acesso a conhecimentos científicos e históricos, e podem ser uma forma da família passar um tempo de qualidade junta.

Confira algumas dicas que podem tornar esse momento mais proveitoso.

1 - Considere os interesses da criança


Na hora de escolher um museu para conhecer, leve em consideração os temas de interesse dos pequenos. Gosta de dinossauros? De astronomia? De pintura? Pesquise e encontre uma opção que contemple esses gostos, o que vai tornar a experiência mais atraente. Ou, ainda, opte por um museu que tenha exposições interativas ou espaços voltados para crianças.

2 - Explique as regras


Para tornar o passeio mais tranquilo, é importante explicar algumas coisas sobre os museus antes que vocês saiam de casa. Deixe claro que nem todas as peças podem ser tocadas. Além disso, gritos e saltos precisam esperar o momento da saída.

3 - Participe com ela da experiência


Informe-se de antemão sobre as exposições que serão visitadas, para saber o que mais chamará a atenção da criança e se existe alguma delas que vocês possam passar reto. Uma vez no museu, incentive-a a pensar sobre as obras, fazendo perguntas e conversando sobre elas. Isso tornará a visita significativa, que se tornará uma memória agradável de um tempo passado em família.

Estes são alguns espaços que podem ser incluídos na lista de opções para visitação:


São Paulo:

Catavento Cultural: no Catavento, que tem 4 mil m², as instalações Universo, Vida, Engenho e Sociedade contam com ambientes interativos com direito a jogos e filmes 3D.

Museu de Zoologia: mantido pela Universidade de São Paulo (USP), o espaço exibe a biodiversidade brasileira. Tem mais de 800 peças, entre fósseis e esqueletos reais de dinossauros. Uma boa opção para as crianças que gostam de aprender sobre os animais.

Museu da Imaginação: neste espaço, criado especialmente para os pequenos, é possível passar por exposições de arte interativas, mostras temáticas e atividades lúdicas.

Marista Escolas Sociais: Marista Escolas Sociais atende gratuitamente 7700 crianças, adolescentes e jovens por meio de 19 Escolas Sociais, localizadas em cidades de Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Os alunos atendidos nas Escolas Sociais têm acesso a uma educação de qualidade e gratuita que vai desde a educação infantil até o ensino médio, além de projetos educacionais e pedagógicos que acontecem no contraturno. https://maristaescolassociais.org.br/


***






domingo, 24 de julho de 2022

Síndrome do Olho Seco afeta mais de 745 milhões de pessoas em todo o mundo




13% da população brasileira , o equivalente a 25 milhões de pessoas¹, são acometidas pela doença



A Síndrome do Olho Seco é uma doença multifactorial que afeta 745 milhões de pessoas[1] em todo o mundo e muitas vezes não é reconhecida e não diagnosticada. A visão é o sentido mais desenvolvido que temos, isso porque 80% da informação que o nosso cérebro recebe é visual, por isso manter uma boa saúde ocular é fundamental para todos os aspectos da vida de um indivíduo.

Dados da Johnson & Johnson afirmam que 67% dos brasileiros se preocupam com a saúde ocular, enquanto 43% acreditam que sinais de doenças crônicas podem ser detectados em exames oftalmológicos[1]. Por esse motivo, há um senso de urgência em nossa comunidade para recomendar um exame oftalmológico para tratar condições complexas, crônicas ou multifatoriais, como a Síndrome do Olho Seco.

Uma elevada porcentagem de pacientes que realizam consulta oftalmológica têm sinais e sintomas de Olho Seco e muitos deles se desenvolvem com o tempo. Estudos do Instituto de Microcirurgia Ocular mostram que 86% dos pacientes com Síndrome do Olho Seco têm disfunção nas glândulas de Meibomius (DGM)[2], fator que ocorre quando há comprometimento na estrutura das glândulas de Meibomius, nas pálpebras, responsáveis pela produção de uma camada oleosa, capaz de evitar que a lágrima evapore quando os olhos estão abertos.

No Brasil, estima-se que cerca de 50% das consultas oftalmológicas se devem ao olho seco[3], uma condição difícil de identificar pelos pacientes porque os sintomas, tais como olhos irritados, coceira, ardor e visão turva, são facilmente confundidos com outros problemas.

Brasil teve aumento de casos de Olho Seco durante a pandemia

A pandemia fez com que milhões de pessoas passassem muito tempo em frente às telas, levando à Síndrome do Olho Seco. De fato, mais de 38% dos entrevistados da pesquisa da Fight for Sight, instituição britânica que financia pesquisas sobre prevenção e tratamento de cegueira e doenças oculares, revelaram que os problemas de visão se agravaram desde o início da pandemia.

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Oftalmologia ressalta que 90%[3] dos usuários que passam mais de três horas por dia em frente às telas apresentam algum sintoma que pode prejudicar a saúde dos olhos, já que mantêm a atenção em computadores, celulares e televisores, o o número de piscadas diminui e, consequentemente, os olhos são lubrificados com menos frequência, causando um desequilíbrio no filme lacrimal.

Também estima-se que no Brasil, 13% da população, na proporção de três mulheres para cada homem, têm os olhos secos2 enquanto que, em São Paulo, a prevalência de olho seco na população adulta é de 24%[4], e em estudantes universitários a incidência é de 23%, ocasionada por fatores de risco como pessoas do sexo feminino, uso de telas, lentes de contato e menos de seis horas de sono[5].

Anteriormente, essa patologia passava despercebida, mas com os avanços tecnológicos e a constante exposição às telas, a síndrome do olho seco se tornou um grande problema de saúde. Hoje, é possível obter uma imagem em alta definição do interior das pálpebras inferiores do paciente, o que pode corroborar e apontar o diagnóstico da síndrome. Um diagnóstico de alta qualidade, sem dúvida, ajudará a educar o paciente sobre a doença e indicar o melhor tratamento para cada caso.

O Tratamento

Uma das mais recentes soluções para pacientes com olho seco, causado pela DGM (Disfunção da Glândula Meibomius), é o sistema de pulso térmico, tecnologia que emite calor e pressão simultaneamente, promovendo o desobstrução das glândulas de meibomius. Além disso, o tratamento tem um alto nível de eficácia na redução dos sintomas, melhorando a funcionalidade das glândulas palpebrais e secreção da camada lipídica da lágrima. Estimativas de especialistas na área de oftalmologia prevêem que o efeito terapêutico poderia proteger os olhos do paciente por até doze meses.

A visão é fundamental para nossas vidas, mas nossos olhos passaram pela mudança de viver apenas com luz natural para estar em frente às telas por até 10-12 horas por dia; embora esta condição agora possa ser controlada, se deixada sem tratamento ou não tratada corretamente, os sintomas do olho seco podem piorar e afetar a qualidade de visão do paciente.

Existem diferentes tecnologias disponíveis para diagnóstico de olho seco e imagem das glândulas de meibomius. Recomenda-se que o paciente consulte seu oftalmologista de confiança sobre as alternativas e opções terapêuticas mais avançadas do mercado.

Sobre a Johnson & Johnson Vision

Na Johnson & Johnson Vision, parte da Johnson & Johnson Medical Devices, temos uma ambição ousada: mudar a trajetória da saúde ocular no mundo. Através de nossas empresas, entregamos inovações que permitem aos profissionais da saúde ocular proporcionar melhores resultados durante toda a vida dos pacientes, com produtos e tecnologias que atendem necessidades não atendidas incluindo erros refrativos, catarata e olho seco. Em comunidades com maiores necessidades, trabalhamos em colaboração para expandir o acesso a cuidados oftalmológicos de qualidade e estamos comprometidos a ajudar as pessoas a ver melhor, se conectar melhor e viver melhor. Para mais informações, visite https://jnjvisionpro.com.br/, e siga Johnson & Johnson Vision no LinkedIn.





***




quarta-feira, 6 de julho de 2022

Curso de Gastronomia Social transforma a vida de mulheres com foco em recomeço e independência


Curso de Gastronomia Social transforma a vida de mulheres com foco em recomeço e independência
"The Caring Family Foundation está à frente de uma parceria entre o Instituto Capim Santo e Bem Querer Mulher para geração de renda e autonomia de mulheres que sofreram violência"

Três em cada cinco mulheres brasileiras jovens já sofreram violência em seus relacionamentos. Patricia Caring, fundadora da TCFF, é uma empreendedora social atenta a problemas sociais relacionados a mulheres, crianças e o meio ambiente. “Somos apaixonados pelo trabalho da nossa fundação e pelas parcerias que estabelecemos. O lançamento deste curso representa uma nova oportunidade para as mulheres que apoiamos e fortalecemos, em direção à reconstrução de suas vidas e um futuro melhor”, afirma Patricia.

The Caring Family Foundation (TCFF), organização do Reino Unido que inicia um ambicioso projeto de ações sociais no Brasil, anuncia uma conquista das mais impactantes. Um grupo de 20 mulheres, vítimas de violência doméstica, fizeram parte do primeiro curso da Fundação de Gastronomia Social no Brasil. O curso foi lançado no dia 08 de março, Dia da Mulher, onde elas tiveram um encontro marcado com uma das maiores chefes de cozinha do País, Morena Leite, em que o principal objetivo do encontro foi apoiá-las no próximo passo da sua jornada de recuperação, em direção a um novo momento para sua vida e dos seus filhos.

O Curso de Gastronomia Social é uma parceria entre a The Caring Family Foundation, Insituto Capim Santo e Bem Querer Mulher (BQM). O BQM, um centro de referência em São Paulo, oferece suporte às vítimas de violência com atendimento humanizado e multidisciplinar, assistência social, psicológica, jurídica, acompanhando cada caso até a sua conclusão. Em 2020, com apoio da TCFF, BQM inaugurou a CASA BEM QUERER MULHER, onde mais de mil mulheres já foram atendidas.

O curso oferecido faz parte do programa Cozinha do Amanhã, do Instituto Capim Santo, com quatro meses de trabalhos, carga horária de 200 horas, incluindo aulas práticas e teóricas, vídeo aulas, estágio, visita técnica e voluntariado. O Cozinha do Amanhã se baseia em três pilares: gastronomia brasileira, técnicas internacionais e cozinha sustentável. Ao final, todas estão para receber um certificado como auxiliar de cozinha e acesso a Closeer, plataforma parceira que conecta as alunas às empresas do ramo da alimentação, como restaurantes e hotéis.

Tendo em vista seu foco para apoiar mulheres a alcançarem um futuro promissor, no qual elas possam trilhar uma jornada quebrando o ciclo de dependência com seus abusadores, por meio de geração de renda e autonomia, em 2022, a The Caring Family Foundation firmou parceria com o Instituto Capim Santo, para levar às mulheres apoiadas pela ONG Bem Querer Mulher o programa Escola do Amanhã em São Paulo. Este programa tem como principal foco capacitar pessoas em situação de vulnerabilidade social na área da Gastronomia Sustentável e Ações Cidadãs, para que as pessoas participantes entendam todos os passos necessários para se tornarem chefs de cozinha, ou ingressarem em posições no mercado de gastronomia, o curso oferece até mesmo capacitações na área de empreendedorismo caso os participantes também queiram abrir seus próprios negócios.

No primeiro semestre de 2022, o Capim Santo em parceria com a The Caring Family Foundation conseguiu formar 15 mulheres da ONG Bem Querer Mulher e 7 mulheres do Instituto André Franco Vive, abrindo novas possibilidades para um futuro mais fortalecido e promissor. Agora no dia 07 de Julho, estas mulheres irão preparar todo o buffet de sua formatura, para poder prestigiar e compartilhar esta grande conquista com o mundo. O evento pretende alcançar cerca de 100 pessoas, incluindo familiares, amigos e referências na área da gastronomia, para poder contar suas histórias de vitória. O evento será sediado no Instituto Tomei Ohtake, contando com o apoio logístico do Instituto Capim Santo e o restaurante Capim Santo.


Depoimentos:


“Quando cheguei na casa me sentia no fundo do poço, debilitada, sou portadora de doença crônica e eu havia perdido tudo... dignidade, vontade de viver e foi aí que eu conheci a Casa. Participei dos cursos, das dinâmicas e foi maravilhoso porque aí pude me firmar como ser humano, como mulher... eu me fortaleci, aprendi a me valorizar em primeiro lugar, segundo, terceiro, dei uma revirada grande em minha vida. Procurei de novo o meu tratamento médico que tinha abandonado, fiz um renovo na minha vida. Hoje me sinto forte, preparada. Se não fosse o atendimento da casa, não sei o que seria de mim... me ajudou em vários processos, etapas da minha vida. Essa casa tem uma importância muito grande, porque entre mulheres em todos os sentidos, cada uma com seu problema, cada uma com sua dificuldade, e ali a gente participa das dinâmicas, cada uma expõe sua situação, coisas que não teríamos no nosso dia a dia para falar com ninguém, por que a gente se fecha no nosso mundo, a gente se tranca... e só Deus sabe o que pode acontecer com a gente. Aqui na casa tem pessoas que podem nos ouvir, pessoas que expõem sua situação e de algum modo você tira coisas para aplicar na sua vida. Quando a gente chega aqui na Casa o nosso problema se torna pequeno, porque a gente vê saída... vê solução para enfrentar o dia a dia. O acolhimento é perfeito. Se preocupam comigo e cuidam de mim. Eu só posso dizer que sou outra pessoa, fortalecida, que gosto de mim, hoje me valorizo, faço as coisas pra mim. Agora vou começar um curso de gastronomia, tenho um amor grande pela cozinha, cozinhar faz parte do meu ser. Mais do que o curso, a casa oferece acolhimento e ações para o nosso bem estar. Que outras pessoas possam ter a oportunidade de ser atendidas pela casa, como eu fui. Gratidão a tudo ! A casa me ajudou e está me ajudando, pois vou começar um novo curso agora e eu só tenho a agradecer por tudo que oferecem e fazem por mim.”

The Caring Family Foundation


A The Caring Family Foundation foi fundada por Patricia & Richard Caring para tratar de questões importantes para eles. Por meio de parcerias e colaboração estratégicas, a Fundação auto-financia projetos no Reino Unido e no Brasil, o país de origem de Patricia, voltados para crianças em situação de pobreza e insegurança alimentar, mulheres e crianças que fogem de abuso doméstico e comunidades desproporcionalmente afetadas pelas mudanças climáticas.

Como parte de seu compromisso de combater a pobreza alimentar, a Fundação já forneceu 1,4 milhão de refeições para crianças e famílias que vivem na pobreza e comunidades vulneráveis. Além disso, a Fundação já prestou suporte a mais de 1.590 mulheres e crianças no Brasil que fugiam da violência doméstica, oferecendo-lhes assistência integral para quaisquer necessidades médicas, sociais, psicológicas, habitacionais e jurídicas, além de empoderamento por meio de um programa de capacitação em gastronomia social e empregabilidade para romper o ciclo do abuso.

A Fundação apoia os esforços de reflorestamento e restauração em grande escala nas florestas tropicais brasileiras para restaurar a biodiversidade em parceria com comunidades locais, proprietários de terras e instituições de caridade. A Fundação assumiu o compromisso de plantar um milhão de árvores até o final de 2022 e também apoia emergências atuais e futuras, com um fundo global de crise.

https://www.thecaringfamilyfoundation.org/

Siga @thecaringfamilyfoundation



Instituto Capim Santo


Oficializado em 2012, o Instituto Capim Santo (ICS) foi fundado pela Chefe de Cozinha, Morena Leite, em 2009. Desde essa época o ICS proporciona para as pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social, uma formação profissional de excelência na área da gastronomia. Além de conectar pessoas com os mesmos valores, princípios e propósitos. Utilizamos a gastronomia para transformar vidas.

https://institutocapimsanto.org.br/

siga @institutocapimsanto

Bem Querer Mulher

BEM QUERER MULHER é um programa do Instituto para o Desenvolvimento Sustentável (Indes), surgiu em 2004, antes mesmo da promulgação da Lei Maria da Penha, tornando-se referência no trabalho de enfrentamento à violência de gênero e intrafamiliar no Brasil. O programa realiza pioneirismo à capacidade de inovar diante da complexidade do tema. “No Bem Querer Mulher, temos um atendimento humanizado, integral e multidisciplinar, com assistência social, psicológica, jurídica, conexão com o sistema de justiça e encaminhamento à rede de atendimento local, com o acompanhamento de cada caso”, explica Heloisa Melillo, coordenadora Geral do Bem Querer Mulher.

Em 2021, foram mais de mil mulheres atendidas. Além de acolher, o programa apoia mulheres por meio de uma inserção no mundo do trabalho e autonomia financeira, com cursos de formação humana e profissional, além de conexão com empresas.

Para buscar ajuda, as mulheres precisam identificar, primeiramente, que são vítimas de diferentes tipos de violência e não apenas da violência física. O trabalho de articulação comunitária é feito em parceria com organizações locais, além de centros de atendimento de saúde e assistência social. As parcerias também são estabelecidas com outras áreas, como a de segurança pública. A atuação em apoio às vítimas já é realizada pelo Bem Querer Mulher dentro de algumas Delegacias de Defesa da Mulher, contribuindo para um atendimento mais acolhedor. O programa também está dentro de empresas que têm o enfrentamento à violência como pauta. O programa é auditado pela Price Waterhouse Coopers (PWC) e tem a apresentadora Ana Maria Braga como sua embaixadora.

https://bemquerermulher.org.br/

@bemquerermulher


***





terça-feira, 5 de julho de 2022

Câncer de cabeça e pescoço é responsável por 20 mil mortes ao ano no Brasil

Com altas chances de cura na fase inicial, cerca de 76% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, dificultando o tratamento e aumentando os riscos de óbito pela doença



Considerado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) um dos tipos mais incidentes, o câncer de cabeça e pescoço foi responsável por mais de 20 mil mortes no Brasil no ano de 2019, com estimativa de mais de 685 mil novos casos por triênio no mundo.

Conforme a Dra. Beatriz Cavalheiro, cirurgiã de cabeça e pescoço da Rede de Hospitais São Camilo SP, o maior desafio é a falta de informação sobre a doença, levando a diagnósticos tardios.

Segundo dados da entidade, mais de 75% dos casos são diagnosticados já em estágio avançado, o que dificulta o tratamento, além de elevar a taxa de mortalidade. Cânceres de cabeça e pescoço são considerados aqueles que acometem as regiões da cavidade oral, faringe (garganta), laringe e cavidade nasal, bem como a pele, glândulas salivares, vasos sanguíneos, músculos e nervos da região, além da glândula tireoide.

A especialista frisa que no Brasil, os cânceres de boca são os quintos mais frequentes entre homens, enquanto os de laringe estão em oitavo lugar. Já entre as mulheres, o câncer de tireoide é o quinto mais prevalente (e o quarto no estado e na cidade de São Paulo), com quase 12.000 novos casos no ano de 2020, de acordo com o último levantamento do Ministério da Saúde.

“A prevenção é nossa mais importante ferramenta no combate ao câncer e, o diagnóstico precoce, um importante recurso para sua cura. Por isso, é fundamental a não exposição aos fatores de risco, a realização de exames preventivos e estar atento aos sintomas da doença”, reforça.

Ela explica que, entre os principais indícios, estão lesões e sintomas que não se resolvem ou cicatrizam no período de duas semanas, como feridas na pele, lesões nos lábios, boca e garganta (vermelhas ou brancas, como aftas); rouquidão e alteração do timbre vocal (voz anasalada, por exemplo) e dor ou incômodo ao engolir. Deve-se atentar também ao surgimento de nódulos no pescoço, mesmo que indolores, além do amolecimento dos dentes e sangramentos na região.

Fatores de risco


A médica destaca que, além de tendências familiares e a exposição à radiação, não se têm evidências precisas acerca dos fatores de risco para o desenvolvimento do carcinoma papilífero da tireoide, o mais frequente a acometer essa glândula (90%). Na maior parte das vezes, o prognóstico é excelente e não há sequelas quando o paciente é adequadamente tratado. Existem, porém, variações mais agressivas do câncer da tireoide, mas passíveis de tratamento.

Geralmente, existem alguns agravantes para o surgimento do câncer de cabeça e pescoço, como:

- Exposição solar


O tipo de câncer mais frequente na região é, por sua vez, os tumores de pele, especialmente em regiões do corpo expostas ao sol sem proteção. Há relação com a exposição solar crônica, de longa data, bem como queimaduras solares agudas. Esses são mais preocupantes quando próximos aos orifícios naturais como boca, nariz, olhos e orelhas.

- Tabagismo e ingestão de álcool


Já os cânceres que acometem o revestimento da boca, garganta e laringe (trato aéreo-digestivo alto) são, na maior parte das vezes, representados pelo carcinoma epidermoide. O consumo de álcool e fumo (inclusive o tabagismo passivo) estão entre os principais fatores de risco para essas lesões, além da má higiene oral, traumas locais de repetição como aqueles ocasionados por dentaduras mal ajustadas e dieta pobre em frutas e verduras, alerta a cirurgiã.

O hábito de fumar pode aumentar em até 20 vezes a possibilidade de uma pessoa saudável desenvolver a doença. Esse risco multiplica-se em associação com ingestão excessiva de bebidas alcóolicas.

- HPV (Papilomavírus humano)


O vírus pode participar do desenvolvimento de tumores malignos na boca e, especialmente, na orofaringe, que inclui a base da língua (porção mais posterior), as amígdalas, as partes laterais e posterior da garganta. A sua via de transmissão é sexual.

- Exposições a substâncias


Pessoas que trabalham no setor industrial e de construção e são expostas a substâncias químicas, especialmente derivados do petróleo, pós de madeira e têxteis, entre outros, podem ter um risco maior de desenvolvimento de cânceres do revestimento da via aéreo-digestiva alta.

“A indicação para este público é seguir com consultas preventivas periódicas e estar atento a sinais e sintomas iniciais”, orienta Dra. Beatriz.

Prevenção


De maneira geral, a adoção de bons hábitos e prática regular de atividades físicas são ações que podem contribuir significativamente para a prevenção de inúmeras doenças, inclusive do câncer.

A especialista do Hospital São Camilo SP recomenda a realização de visitas anuais ao dentista, atenção ao próprio corpo e consulta a um cirurgião de cabeça e pescoço em casos de evidências como as citadas acima, além de:

- Manter a higiene bucal em dia;

- Não fumar (cigarro, charuto, cachimbo, maconha, narguilé) ou mascar tabaco;

- Evitar consumo excessivo de álcool;

- Usar protetor solar adequadamente (importante replicá-lo durante o dia e não esquecer das orelhas), inclusive em dias sem sol, bem como chapéus e óculos escuros;

- Realizar exames preventivos da tireoide;Vacinar-se contra o HPV e usar preservativos nas relações sexuais.

Sobre a Rede de Hospitais São Camilo


As Unidades da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo prestam atendimentos de emergência e eletivos em mais de 60 especialidades, cirurgias de alta complexidade e transplantes de medula óssea. O hospital da Pompeia é acreditado pela Joint Commission International (JCI). A unidade São Camilo Oncologia, por sua vez, é referência em Pesquisa Clínica no Brasil, sendo considerada Top Recruitment - o maior recrutador de pacientes com mais de 40 estudos patrocinados na área de Oncologia.

Os hospitais privados da Rede subsidiam as atividades de cerca de 40 unidades administradas pela Sociedade Beneficente São Camilo e que atendem pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) em 15 Estados brasileiros.

No Brasil desde 1922, a Sociedade Beneficente São Camilo, que pertence à Ordem dos Ministros dos Enfermos, foi fundada por Camilo de Lellis e conta, ainda, com 25 centros de educação, dois colégios e dois centros universitários.

Siga o Hospital São Camilo nas redes sociais: @hospitalsaocamilosp


***